Olhar Jurídico

Terça-feira, 07 de abril de 2020

Notícias / Criminal

Produtor rural de MT enviou dinheiro para comprar voto de desembargadora na Bahia, diz PF

Da Redação - Arthur Santos da Silva

24 Mar 2020 - 14:25

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Produtor rural de MT enviou dinheiro para comprar voto de desembargadora na Bahia, diz PF
A Polícia Federal apreendeu R$ 250 mil na casa da desembargadora Sandra Inês Rusciolelli, do Tribunal de Justiça da Bahia, alvo da 5ª fase da Operação Faroeste, que apura um suposto esquema de venda de decisões judiciais na Corte. Segundo o site O Antagonista, o valor foi pago por um produtor rural de Mato Grosso.

Leia também 
Operação da PF que investiga venda de sentenças cumpre mandados em MT

 
A magistrada teve a prisão temporária e o afastamento da função por um ano decretados pelo ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A PF gravou e monitorou acertos de propina e entrega de dinheiro.
 
Segundo O Antagonista, o produtor rural repassou R$ 250 mil a um advogado que fez o dinheiro chegar a Salvador (BA) e o entregou ao filho da desembargadora.
 
Para os investigadores, o dinheiro era parte de um esquema para comprar o voto da desembargadora em julgamento realizado em janeiro, que beneficiaria o produtor rural. Confira aqui o material divulgado pelo site O Antagonista.
 
Operação
 
A Polícia Federal cumpriu, na manhã deste terça-feira (24), mandados de busca e apreensão em Rondonópolis (a 216 quilômetros de Cuiabá), Salvador e Mata de São João, ambas cidades na Bahia, na quinta fase da operação Faroeste.
 
O objetivo é a desarticulação de possível esquema criminoso voltado à venda de decisões judiciais, por juízes e desembargadores, do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. Os crimes investigados, além de corrupção ativa e passiva, são lavagem de ativos, evasão de divisas, organização criminosa e tráfico influência.

Ao todo, foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, bem como mandados de prisão temporária em desfavor de uma desembargadora do TJ-BA e de dois advogados, sendo um deles filho e operador financeiro da citada autoridade judiciária.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gladston
    25 Mar 2020 às 14:21

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • CLASSE
    25 Mar 2020 às 12:50

    COLOCA O NOME DO MALFEITOR/BANDIDO, PARA NÃO DEMONIZAR A CLASSE TRABALHADORA . OU SE TEM DÚVIDAS NÃO MENCIONA SEGUIMENTOS.

  • Ggm
    25 Mar 2020 às 12:06

    Será por que a imprensa de mato matogrosso só da notícia pela metade? Quem quiser saber o nome da empresa E o nome do produtor e só ler no Antgonista SP.

  • Zé Mané
    25 Mar 2020 às 11:09

    Quem é o cantor? Produtor rural... Homem de família, bom caráter, pessoa do bem, apoiador do homem, kkkk... Tô falando

  • Silvio
    25 Mar 2020 às 09:23

    Quem será o produtor rural, e porque ele não teve preventiva decretada, será que um dos mega

  • gian
    25 Mar 2020 às 07:02

    Poe o nome do produtor vagabundo deve ser cidadão de bem.

  • AVANÇA MT
    24 Mar 2020 às 15:48

    QUEM DEVERIA SER EXEMPLO FAZENDO UMA SUJEIRA DESSAS TEM QUE SER PUNIDOS COM MUITO RIGOR PARA SERVIR DE EXEMPLOS AOS OUTROS

Sitevip Internet