Olhar Jurídico

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Trabalhista

Empresa em recuperação judicial é processada por contratos trabalhistas irregulares com Estado

Da Redação - Arthur Santos da Silva

17 Out 2017 - 14:00

Foto: Reprodução

Empresa em recuperação judicial é processada por contratos trabalhistas irregulares com Estado
O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) ajuizou ação civil pública com pedido de liminar em face da DSS Serviços de Tecnologia da Informação Ltda., especializada na prestação de serviços e de suporte na área de tecnologia da informação. O MPT pede a fixação da indenização em R$ 200 mil por danos morais coletivos. A empresa passa por recuperação judicial é acusado de manter contratos irregulares.

Leia mais:
Cabo Gerson tenta delação premiada e 'escancara' detalhes de grampos ilegais em MT


O MPT aponta, entre as irregularidades, a não realização de exames médicos admissionais, a falta de controle da jornada de trabalho, a não concessão de descanso semanal remunerado e de intervalos intrajornada, a prorrogação da jornada de trabalho dos empregados em desacordo com a lei e a violação das regras específicas da duração do trabalho de operadores de telemarketing/teleoperadores. Foi constatado, ainda, atraso no pagamento de salários, em descumprimento ao prazo estabelecido na CLT e nas normas internacionais.

A empresa já manteve contrato com diversos órgãos públicos estaduais e nacionais, entre eles o Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, Secretaria de Estado da Fazenda de Mato Grosso, Polícia Federal e Supremo Tribunal Federal.

Segundo a procuradora do Trabalho Lys Cardoso Sobral, o fato da DSS Serviços firmar contratos com a Administração Pública torna o caso mais grave. “A conduta acarreta, além de danos aos direitos de seus empregados, prejuízos ao erário, uma vez que, em caso de inadimplemento das obrigações pelo prestador dos serviços, o ente público acaba respondendo pelo passivo gerado”.

A procuradora explica que as provas foram colhidas em inquérito civil instaurado a partir de denúncia relatando que a empresa deixou de pagar ajuda de custo, além de não quitar as horas extras laboradas pelos empregados. 

Em 2015, uma fiscalização empreendida pelo Ministério do Trabalho resultou na lavratura de oito autos de infração contra a DSS. “Vale dizer que os relatórios do Ministério do Trabalho, elaborados após detalhada análise das condições encontradas no local de trabalho e da documentação relacionada às irregularidades encontradas, constituem prova suficiente para a propositura da ação judicial”.

Em audiência realizada outubro do ano passado, a empresa recebeu proposta de assinatura de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), contudo, em resposta posterior, negou-se a assinar o acordo, com a justificativa de que o descumprimento da legislação trabalhista havia sido pontual. Não apresentou, todavia, documentação comprovando a regularidade dos problemas verificados.

Pedidos

O MPT ajuizou a ação com pedido de liminar, tendo em vista o “receio de que as graves irregularidades praticadas pela empresa se perpetuem no tempo e tragam aos trabalhadores envolvidos danos irreparáveis”.

Se a decisão for favorável, a empresa deverá submeter seus funcionários ao exame médico admissional completo e pagar os salários no prazo legal. Em relação à jornada, os pedidos são para que a DSS passe a consignar em registro mecânico, manual ou sistema eletrônico, os horários de entrada, saída e período de repouso efetivamente praticados pelos trabalhadores, nos estabelecimentos com mais de 10 empregados; conceda o repouso semanal remunerado de 24 horas consecutivas, preferencialmente aos domingos; não prorrogue a jornada normal de trabalho além do limite legal de duas horas diárias sem qualquer justificativa legal; e respeite o intervalo para repouso ou alimentação em qualquer trabalho contínuo cuja duração exceda as seis horas. 

Se a Justiça do Trabalho acatar os requerimentos do MPT, a empresa também não poderá mais manter trabalhadores em efetiva atividade de teleatendimento/telemarketing por mais de seis horas diárias ou por mais de 36 horas semanais, incluídas as pausas.

Recuperação judicial

A Justiça de Mato Grosso concedeu em maio de 2015 recuperação judicial a DSS Serviços de Tecnologia da Informação Ltda.. Foi declarada dívida de R$ 14,9 milhões.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jece
    04 Jan 2019 às 17:16

    E ai pergunto, como que esse tipo de empresa consegue vencer LICITAÇÕES ??

  • Primo
    19 Out 2017 às 16:38

    Primo sai dessa vida.... Tá queimado na rodinha!

  • Primo
    19 Out 2017 às 16:15

    Primooo, sai dessa vida. Tá queimado na rodinha hein.

  • Primo
    18 Out 2017 às 16:49

    Japa, sai dessa vida....

  • Primo
    18 Out 2017 às 16:15

    Primooo, larga mão dessa vida. Bora fumar um cigarooo!

  • Primo
    18 Out 2017 às 14:14

    Primooo, vc ainda tá nessa? Sai dessa vida. Cigarooooo

  • Maria
    18 Out 2017 às 13:59

    Acordou pra vida Ministério público! Funcionários com atrasos salariais ficam meses sem receber paga tudo em atrasos com juros e multas muitas vezes deixando contas para traz pq tem q escolher qual vai pagar por conta dessa palhaçada da empresa que não da conta pedi pra sair,não justifica deixando os funcionários sem respaldo,meses sem vale transporte,não repassa FGTS mais de 6 meses , Vale refeição uma semana deposita outra não e qdo atrasa não repassa o valor integral, funcionários chega a fazer empréstimo com familiares para não passar fome, não paga as férias de funcionários, se existe justiça essa é a hora MP.Ainda os funcionários estão sendo ameacados pela gerencia se entrarem em greve. Sambou e rasgou as leis dos trabalhadores e vcs nada fizeram a tanto tempo....tardou e espero que a justiça não falhe e que os funcionários seja pago justamente por cada mixaria q recebem, mais que paguem pelo que devem.

  • Joao bandeira
    17 Out 2017 às 19:22

    Gostaria de receber maiores detalhes sobre o assunto RECUPERAÇÃO JUDICIAL!

  • Joao bandeira
    17 Out 2017 às 19:21

    Otima matéria.

  • Pardal
    17 Out 2017 às 16:46

    E agora, o Estado MT conta com muitos servidores da DSS É um fato. Como resolver a questão?

Sitevip Internet