Olhar Jurídico

Domingo, 14 de julho de 2024

Notícias | Criminal

FARÁ PRÉ-NATAL

Juiz mantém prisão de mulher suspeita de matar companheiro queimado; diz estar grávida

Juiz mantém prisão de mulher suspeita de matar companheiro queimado; diz estar grávida
O juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira, da 1ª Vara Criminal de Cuiabá, converteu em preventiva a prisão em flagrante de Jeanne de Almeida, suspeita de ter assassinado o companheiro, Deivison José da Silva, 33 anos, no bairro Ikarai, em Várzea Grande. De acordo com o magistrado, a ordem pública seria abalada caso a suspeita, que relatou estar grávida, fosse colocada em liberdade.


Leia também
Mulher que matou companheiro queimado diz que quase foi morta da mesma forma, mas ele "desistiu"


A determinação ocorreu durante audiência de custódia, na terça-feira (7). O promotor César Danilo Ribeiro de Novais manifestou pela conversão da prisão. Já a defesa da investigada, patrocinada pela Defensoria Pública, requereu a concessão de liberdade provisória, ou prisão domiciliar.
 
Além disso, a defensora Cristiane Obregon Almeida solicitou ao magistrado que faça requisição ao Presídio Feminino Ana Maria do Couto May, localizado no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá, para que seja submetida a exames médicos e receba tratamento adequado para seu estado, caso seja comprovada a gravidez.
 
“vê-se a ordem pública se encontra abalada caso a autuada permaneça em liberdade, uma vez que as medidas acautelatórias previstas no art. 319 do CPP não se me apresentam suficientes para impedir que a custodiada volte a atentar contra o patrimônio alheio”, diz trecho da decisão que a reportagem teve acesso.
 
Além disso, o magistrado citou que Janne possui antecedentes criminais e que a forma a qual ela matou o companheiro demonstra a periculosidade dela. Em depoimento, a mulher explicou que matou Deivison porque ele disse que ainda gostava da ex-mulher.
 
“Verifica-se que as circunstâncias do delito são capazes de demonstrar a periculosidade da custodiada, o que torna necessária a manutenção da custódia cautelar para a garantia da ordem pública”, escreveu em outra parte.
 
Pré-natal

Na decisão, o magistrado determinou que a direção do presídio feminino submeta a suspeita a exames para aferir o seu quadro gestacional. Ele mandou que ela seja encaminhada para exames pré-natal.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet