Olhar Jurídico

Quarta-feira, 15 de julho de 2020

Notícias / Civil

Emanuel se apoia em decisão do TRF-1 para exigir poder de decisão contra lockdown

Da Redação - Arthur Santos da Silva

25 Jun 2020 - 14:13

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Emanuel se apoia em decisão do TRF-1 para exigir poder de decisão contra lockdown
O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), se apoia em decisão do desembargador federal Italo Fioravanti Sabo Mendes para questionar a validade da imposição pela via judicial da quarentena obrigatória em Cuiabá. Posicionamento foi exposto por meio de live divulgada nesta quinta-feira, ao publicar novo decreto.

Leia também
MPF grava vídeo apontando problemas em PL e pede desculpas por uso de imagem de ex-secretário

 
Italo é de Mato Grosso e atualmente exerce a presidência do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). Durante a noite de quarta-feira (24), o magistrado suspendeu liminar que impedia que o Governo do Distrito Federal promovesse a retomada de atividades não essenciais diante da pandemia do novo coronavírus.
 
A decisão liminar era da juíza federal titular da 3ª Vara Federal Cível do Distrito Federal, Kátia Balbino de Carvalho Ferreira. Com a derrubada promovida pelo desembargador, o governador Ibaneis Rocha comemorou.
 
“Eu estava abatido por conta da dificuldade. Eu fui eleito para governar, não cometi nenhum ato de irresponsabilidade, não tem nenhum ato que eu tenha tomado que tenha sido questionado. Eu tinha suspendido todas as reuniões por que não fazia sentido me reunir, fazer estudos, sem poder decidir”, disse Ibaneis ao site Metrópoles.
 
Em Cuiabá, o juiz da Vara Especializada da Saúde Pública de Mato Grosso, José Leite Lindote, determinou no dia 22 de junho  a adoção da quarentena coletiva obrigatória por 15 dias. O município deve ainda implementar barreiras sanitárias para triagem de entrada e saída de pessoas, permitindo apenas a circulação de quem exerce atividades essenciais.
 
Ao contrário do que ocorreu em Brasília, na capital de Mato Grosso a decisão foi mantida após exame de recurso. O desembargador plantonista do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Rui Ramos, indeferiu nesta quinta um agravo de instrumento interposto por Pinheiro.
 
Emanuel Pinheiro afirmou que a capital está sendo penalizada. “Não me canso de dizer, Cuiabá é a tábua de salvação da saúde pública do Estado. Nos orgulhamos de poder atender a todos os mato-grossenses. Entretanto, estamos sendo severamente punidos, ao lado de Várzea Grande. Sem nenhuma medida técnica, com todo respeito que tenho ao Poder Judiciário, decidiram por isto”.
 
“Respeitos as instituições. Vou cumprir a decisão, faço tudo pela minha cidade, inclusive ter que procurar entender esta invasão de competências, me jogando uma série de responsabilidade nas costas, como prefeito da Capital”.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Pedro JOSE
    26 Jun 2020 às 09:10

    O PREFEITO QUER FAZER MEDIA COM O POVO DEPOIS DA FAZER ERRADO EM FECHAR TUDO NA HORA ERRADA E AGORA TEM QUE PAGAR O PREÇO EPONTO.

  • Daniel
    26 Jun 2020 às 08:17

    Impressionante até onde vai o interesse político pessoal e eleitoral! A maioria dos gestores (prefeitos e governadores) sabem que precisam restringir urgente e punir quem desrespeita, mas não o fazem para não perder prestígio eleitoral e pessoal, deixando tudo nas costas do MP, DP e Judiciário, e ainda ficam falando mal e sobre invasão. Absurdo!! Se não precisa aumentar restrição, porque está tudo bem, pq as UTIs só lotam e todos estão desesperados para aumentar UTI e com o iminente colapso da saúde? Sejam sérios e responsáveis, não terceirizem culpas, ajam como Homens civilizados, ainda que isso signifique perder popularidade para salvar vidas. O contrário, a História os marcará e Deus os cobrará no final.

  • glauco
    25 Jun 2020 às 19:07

    Parasita a mesma coisa ta ocorrendo na procuradoria do estado. Tava tendo um monte de gente infectada e o pessoal so sabia depois. Nem higienização tinha porque so ficava sabendo depois. E nininguem nem ficava sabendo. Que eu sei tinha 8 pessoas la mas muita gente nem sabia disso

  • Josue
    25 Jun 2020 às 17:15

    Bota quente, prefeito. Vamos trabalhar cuidando dos protocolos. Só os grandes estão ganhando.

  • parasita
    25 Jun 2020 às 15:46

    Na Secretaria de Saúde do Estado estão impedindo os servidores de exercerem o direito de tirarem férias ou licença. secretário de saúde do estado, gilberto figueiredo é incoerente, pois na sede da secretaria está executando obras de reformas com grande aglomeração e os servidores correndo grande risco de serem infectados. Quando o servidor testa positivo, simplesmente some e abafam o caso. Só depois que se fica sabendo que está com o vírus. Vão lá para conferir.

Sitevip Internet