Olhar Jurídico

Domingo, 05 de dezembro de 2021

Notícias | Administrativo

PLENO

Adiado julgamento que pode aposentar juiz por esquema para venda de sentenças

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargadora Clarice Claudino da Silva

Desembargadora Clarice Claudino da Silva

O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso adiou, nesta quinta-feira (20), a conclusão do julgamento contra o magistrado Wendell Karielli Guedes Simplicio, da 4ª Vara de Alta Floresta (800 km de Cuiabá), em procedimento administrativo disciplinar que versa sobre vendas de sentenças em ações sobre disputas de terras.

Leia mais:
Mais três são incluídos como réus em suposto esquema envolvendo Roseli Barbosa

A maioria acompanhou voto do desembargador Luiz Ferreira, determinando a aposentadoria compulsória do juiz, porém, aguardando pedido de vistas inaugurado pela desembargadora Clarice Claudino da Silva, a conclusão foi adiada.

Conforme denúncias, Wendell, na época lotado na comarca de Vera e respondendo também por Feliz Natal, teria um esquema de venda de sentenças nos dois municípios. Ele usaria o oficial de justiça Jober Misturini, pessoa de sua confiança, para intermediar os negócios com os advogados ou com as partes. Quando o negócio era fechado diretamente com a parte, o advogado que deveria entrar com a ação seria Jarbas Lindomar da Rosa, um ex-agente da Polícia Federal.

O relator do caso, Rui Ramos Ribeiro, não enxergou envolvimento em negociações de sentenças. Luiz Ferreira e Luiz Carlos da Costa, que pediram vistas em sessões anteriores, abriram divergência. Segundo os desembargadores que votaram pela aposentadoria, o magistrado arrolado no procedimento não foi capaz de justificar quantias de dinheiro depositadas em sua conta ao longo de três anos.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet