Olhar Jurídico

Segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Notícias / Civil

MP entra com ação contra servidor que ganhou estabilidade e progrediu de carreira ilegalmente

Da Redação - Vinicius Mendes

11 Set 2019 - 09:38

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

MP entra com ação contra servidor que ganhou estabilidade e progrediu de carreira ilegalmente
O promotor Célio Fúrio, da 35ª Promotoria de Justiça Cível da Comarca de Cuiabá - Defesa da Probidade Administrativa e Patrimônio Público, propôs uma ação civil pública contra o servidor Saturnino Leoncio de Arruda Filho e contra a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), buscando a declaração de nulidade dos atos administrativos que deram estabilidade ao servidor, com anulação dos atos subsequentes. O MP argumentou que além da estabilidade, Saturnino obteve progressão de carreira de forma ilegal.
 
Leia mais:
Madrasta acusada de matar enteada envenenada tem prisão mantida após audiência de custódia
 
O promotor esclareceu que Saturnino teria obtido ilegalmente estabilidade excepcional sem que tenha obtido aprovação em concurso público. Após a declaração de estabilidade ele foi efetivado em cargo público de carreira da ALMT, progrediu contrariando as regras legais e acabou transpondo para o cargo de carreira de técnico, “estando em posto completamente diferente daquele para o qual foi contratado pelo regime celetista e no que foi estabilizado”.
 
“A partir da estabilidade deferida [...] o correto seria o servidor ficar paralisado no cargo que ocupava quando da promulgação da Constituição Federal, ocorrida em outubro de 1988. O estável não poderia e não deveria ser beneficiado com enquadramentos, reenquadramentos, progressões e promoções, muito menos obter transformação, transposição e ascensão de cargo, saindo daquele onde foi estabilizado (Artífice Legislativo) para outro (Técnico Legislativo de Nível Médio) completamente diferente, com outra função, atribuição, classe e nível”, disse o promotor.
 
Ele então pediu a anulação dos atos do Poder Legislativo que beneficiaram Saturnino “indevida e ilegalmente”, e que ele seja imediatamente colocado no cargo de Artífice Legislativo com a adequação salarial e pagamento correspondente ao cargo.
 
“Os processos administrativos quando existentes nada mais foram do que um simulacro, montado para beneficiar descaradamente o requerido. Ocorreram obstáculos formais e a situação funcional do servidor não está correta. Foram violados preceitos constitucionais, legais, morais e éticos”, disse o promotor.
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sindicato dos servidores
    13 Set 2019 às 17:42

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet