Olhar Jurídico

Sábado, 20 de abril de 2024

Notícias | Eleitoral

multiplicação das verdes

MPE afirma que há indícios de caixa 2 em contas de Carlos Bezerra

MPE afirma que há indícios de caixa 2 em contas de Carlos Bezerra
O procurador Regional Eleitoral, Douglas Guilherme Fernandes, afirma que as contas do deputado federal reeleito Carlos Bezerra (PMDB) precisam ser reprovadas devido a vários indícios de Caixa 2. Dentre eles, repasses feitos pelo cacique do peemedebista aos candidatos a deputado estadual não declarados ou sem origem definida com exatidão, além de não declarar gastos com programas eleitorais e manter tópicos não detalhados.

Leia mais:
MPE pede reprovação das contas de deputado que pagou R$ 800 para Janete Riva ser sua cabo eleitoral

De acordo com o parecer do Ministério Público Eleitoral, Bezerra afirma ter doado R$ 281 mil a candidatos dos outros partidos oriundos de uma doação da Construtora Sanches Tripolini. Contudo, ele mesmo só recebeu R$ 100 mil da empresa. “O que é logicamente impossível”, comenta o procurador Douglas Fernandes, sobre esse fato, em trecho do documento enviado ao Tribunal Regional Eleitoral.

Candidatos a deputados estaduais aliados afirmam, em suas declarações, terem recebido um mais R$ 423 mil doados por Bezerra, os quais não foram declarados pelo cacique do PMDB. Além disso, em na prestação de contas, o peemedebista não explicita os gastos com comícios ou qualquer evento para promover a candidatura, ou sequer alimentação, apesar de apontar aonde gastou com hospedagem.

“Outra irregularidade extremamente grave que merece ser destacada; denotadora de caixa dois, recorre da identificação de despesas com diversas empresas, no montante de R$ 61.911,55 que ainda pende esclarecimento”, consta de trecho do relatório. Esses gastos foram apontadas pelo órgão técnico do Tribunal Regional Eleitoral.

Ainda de acordo com o Ministério Público Eleitoral, Bezerra não prestou contas dos gastos com águas encanada e energia elétrica de três imóveis que alugou como comitê, e nem explicou como enviou material de campanha por todo Mato Grosso, visto que não declarou pagamentos a transportadoras, correspondências ou despesas postais.

A assessoria de imprensa do deputado federal afirmou que a defesa do parlamentar só irá se manifestar após o julghamento das contas.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet