Olhar Jurídico

Domingo, 16 de junho de 2024

Notícias | Civil

irregularidades

Governo do estado aciona instituto com dois contratos na Saúde e pede ressarcimento de R$ 23 milhões

Governo do estado aciona instituto com dois contratos na Saúde e pede ressarcimento de R$ 23 milhões
O governo de Mato Grosso entrou com ação contra o Instituto Gerir, responsável por dois contratos de gestão que estabeleciam compromisso entre as partes para o gerenciamento, operacionalização e execução das ações e serviços de saúde no âmbito do Hospital Regional de Sinop.


Leia também 
Acusada de "criar" mercado de fachada para lavar milhões do CV tem domiciliar negada e é mantida presa pelo TJ

 
Segundo os autos, o montante global inicialmente previsto era de R$ 18 milhões, e o valor mensal de R$ 3 milhões.  Devido à necessidade de garantir a continuidade dos serviços médicos no Hospital de Sinop, foi estabelecido o segundo contrato. O valor global inicialmente estipulado foi de R$ 33 milhões.
 
Em ambos os contratos foi estipulada a obrigação da OSS em cumprir metas pactuadas (metas quantitativas e qualitativas), prestar contas acerca da aplicação dos recursos destinados ao custeio de despesas e investimentos, bem como constituir o fundo de reserva legal (reserva destinada ao atendimento de contingências) e respectiva prestação de contas.
 
Auditoria constatou o descumprimento por parte do Instituto Gerir de item que trata da constituição do Fundo de Reserva Legal, bem como fora apontado que o Poder Público vinha corretamente detectando o descumprimento de metas.
 
Diante das irregularidades detectadas, do risco quanto ao cumprimento das obrigações assumidas no contrato de gestão, e das orientações apresentadas pela CGE, o Governador do Estado de Mato Grosso, por meio do Decreto n. 06, de 16/01/2019, determinou a intervenção do Poder Executivo estadual para gerenciar, operacionalizar e executar a prestação de serviços de saúde no Hospital Regional de Sinop.

Durante a intervenção, parecer técnico-contábil concluiu pela existência de passivo financeiro a ser restituído/ressarcido aos cofres públicos pela referida OSS no importe de R$ 23 milhões.

Mesmo com as observações feitas pelo estado, o Instituto Gerir propôs Ação de Execução contra o Estado de Mato Grosso em que alega fazer jus ao recebimento da R$ 9 milhões, que, atualizado atingiria a monta de R$ 17 milhões.

No processo, Mato Grosso pede, liminarmente, o arresto de bens e valores do Instituto Gerir, no montante necessário ao ressarcimento. Ainda, o sobrestamento do processo da ação de execução proposta pela OSS.
 
No mérito, o governo estadual pede que se reconheça a total procedência dos pedidos formulados na inicial, “para condenar o Instituto Gerir, ora Requerido, a efetuar o ressarcimento da quantia R$ 23 milhões”.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet