Olhar Jurídico

Segunda-feira, 20 de maio de 2024

Notícias | Criminal

EXECUTADO NO SHOPPING POPULAR

Juiz mantém prisão de três envolvidos no assassinato de empresário que vendia cigarros sem autorização do CV

Foto: Reprodução

Juiz mantém prisão de três envolvidos no assassinato de empresário que vendia cigarros sem autorização do CV
O juiz Wladymir Perri, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, manteve a prisão de três suspeitos de cometerem o assassinato de Josionaldo Ferreira de Araújo, mais conhecido como Naldo do Tereré, executado com pelo menos cinco tiros em dezembro de 2022, no Shopping Popular de Cuiabá. Na mesma ordem, o magistrado revogou a detenção de outros dois envolvidos. O crime foi motivado porque Naldo estava vendendo cigarros contrabandeados em seu box, sem autorização do Comando Vermelho.


Leia mais
Defesa alega equívoco e mãe de Carlinhos Bezerra desiste de visitá-lo na cadeia em dias não convencionais

 
Marcos Henrique Gomes de Miranda, Gabriel Mota Braga e Lucas Leonardo Padilha da Costa foram mantidos presos preventivamente. Eles requererem a revogação das respectivas detenções sob argumento de que não há provas suficientes da participação deles no crime.

Perri rechaçou os argumentos defensivos, anotando que a detenção dos três está adequadamente motivada com base em elementos concretos que demonstraram a periculosidade deles, e a gravidade do delito praticado, o que se evidenciou pelas circunstâncias do crime e a possibilidade de reiteração delitiva.

“Nesse contexto, forçoso concluir que a prisão processual dos acusados Marcos, Gabriel e Lucas está devidamente fundamentada na garantia da ordem pública, não havendo falar, portanto, em existência de evidente flagrante ilegalidade capaz de justificar a sua revogação”, anotou Perri, em decisão proferida nesta terça-feira (9).

Com relação aos réus Alexandre Magalhaes de Souza e Elton John Conceição da Silva, Perri entendeu que a prisão em relação a eles já não é mais necessária, porque conforme apurado até então, não tiveram participação intensa e decisiva para a consumação do crime.

Diante disso, o magistrado decidiu revogar a prisão de ambos, mediante o cumprimento de medidas cautelares. Eles deverão comparecer a todos os atos processuais aos quais forem intimados, informar o juízo sobre eventuais mudanças de endereços e não se ausentarem de Cuiabá e Várzea Grande sem autorização.

No dia 19 de dezembro de 2022, Josionaldo Ferreira de Araujo, de 46 anos, foi assassinado após ser abordado por uma dupla criminosa na frente de uma das lojas que ele tinha no shopping.

A DHPP apurou que uma dupla chegou ao centro comercial e, sem saber quem era a vítima, se comunicava a todo momento com uma terceira pessoa, em busca de informações sobre o comerciante. Em determinado momento, Wenderson, um dos executores, se aproximou do parceiro e apontou para a vítima, sinalizando ao comparsa quem era o alvo.

Josionaldo foi abordado pelos criminosos, que começaram a dialogar entre si. Um deles chamou o comerciante que, ao virar, foi atingido pelo primeiro disparo e imediatamente caiu. Em seguida, Josionaldo foi alvejado por mais de cinco disparos.

Na fuga, um dos executores, Wenderson Santos Souza, de 24 anos, entrou em confronto com policiais militares e morreu nas imediações do shopping. O outro criminoso, de 22 anos, foi preso em flagrante, e teve prisão convertida em preventiva.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet