Olhar Jurídico

Quinta-feira, 23 de maio de 2024

Notícias | Criminal

ESPOSA TERIA SIDO AGREDIDA

Ex-chefe de gabinete que tentou atropelar e matar homem vai pedir liberdade alegando legítima defesa

Foto: Reprodução

Possível suspeito de ter ameaçado Elison

Possível suspeito de ter ameaçado Elison

A defesa do ex-chefe de gabinete da Câmara Municipal de Nobres, Elison Guilherme da Costa Loiola, 28 anos, suspeito de atropelar Donizete Aparecido de Barros, de 43 anos, no dia 3 de fevereiro, no bairro Jardim Paraná, em Nobres (151 km de Cuiabá), entrará com pedido de liberdade do cliente sustentando que ele agiu em legítima defesa, para proteger-se e defender sua esposa das agressões que sofreram.


Leia mais
Tribunal de Justiça define seis novos desembargadores; confira nomes

O advogado André Faiad alega que o suspeito agiu em legítima defesa, já que havia sido ameaçado de morte pela vítima do atropelamento e por outros dois homens; um deles sobrinho do atropelado.
 
Argumentação defensiva aponta que o atropelado teria importunado sexualmente a esposa de Elison, que o empurrou. Neste momento, o filho de Donizete teria pegado uma arma de fogo em defesa de seu pai.
 
Segundo a defesa, Elison e Cristiane saíram do local e pararam no Espetinho do Toco. No local, três homens começaram a bater no veículo do casal.

Donizete estaria entre os três e, quando Cristiane saiu do carro para tentar conter os ânimos, teria sido agredida por ele, conforme o advogado. O filho dela chegou no espetinho e a levou dali. Elison não teria visto ela indo embora e saiu em sua procura, momento que foi perseguido pelas pessoas que estavam no bar, inclusive um homem armado.
 
Foi aí que Elison deu a volta e, ameaçado a mão armada, tentou sair em fuga e acabou atropelando Donizete.
 
A defesa lembrou que Cristiane foi quem acionou a Polícia e fez corpo delito, cujo resultado comprovou que ela foi agredida no rosto por Donizete.

"Meu cliente nunca quis matar alguém. No dia do ocorrido, ele apenas e tão somente quis proteger sua integridade física e a da sua esposa. Eram três homens, um deles armado, que agrediu a esposa dele e queriam matar meu cliente. Já requeremos ao delegado de Nobres, que a Polícia Civil requisite imagens de mais cinco câmeras de segurança que mostram outros ângulos do local e do ocorrido. Acredito no trabalho da Polícia Civil e tenho convicção da  inocência de Elison, o que será demonstrado nos autos", completou Faiad
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet