Olhar Jurídico

Segunda-feira, 04 de março de 2024

Notícias | Criminal

mandados de prisão

Empresários de Mato Grosso alvos de operação continuam foragidos

Foto: Reprodução

Mariuzan Bonfá e José Maria Magalhães Filho

Mariuzan Bonfá e José Maria Magalhães Filho

Policiais civis tentam localizar três empresários que estão foragidos da Justiça de Mato Grosso e de Alagoas: Mário Teixeira Santos da Silva, investigado nas operações locais Déjà Vu e Odisseia, enquanto José Maria Magalhães Filho e Mariuzan Bonfá são procurados por suspeita de participação em uma quadrilha de tráfico de drogas e lavagem de capitais.

Leia também
Polícia divulga nomes de empresários foragidos em operação sobre tráfico de drogas; veja as identidades

 
Para os três, foram expedidos mandados de prisão. Mário Teixeira é apontado pela Delegacia Especializada de Crimes Fazendários (Defaz) como membro de uma organização criminosa especializada na constituição de “empresas de fachada”, registradas em nome de terceiros (laranjas) ou até de pessoas inexistentes, mediante documentos falsos, com a finalidade de burlar a cobrança do pagamento de tributos.
 
Além de Mário, as ordens de prisão foram expedidas para o também empresário Bruno Cicaroni e o advogado Elisandro Nunes. No entanto, o desembargador Rui Ramos Ribeiro, do Tribunal de Justiça (TJMT), acatou pedidos liminares e determinou liberdade da dupla. Os suspeitos serão monitorados por tornozeleira eletrônica.
 
Mário, além de líder, conforme a Polícia, tinha como sócio Edenilton Balbino e era o responsável pela parte burocrática do esquema, enquanto o sócio tinha os clientes do serviço de sonegação fiscal.
 
Operação Hades
 
A Polícia Civil suspeita que José Maria Magalhães Filho e Mariuzan Bonfá estejam fora do Brasil. Além deles, foi alvo: José Clovis Pezzin de Almeida, mais conhecido como Marllon Pezzin. Ele, no entanto, foi solto, na sexta-feira (9), após decisão da Justiça de Alagoas.

A dupla é apontada como fornecedores de drogas de uma organização criminosa ligada ao Comando Vermelho. Eles são sócios de uma empresa, utilizada apenas para receber dinheiro relativo ao comércio de entorpecentes e teriam recebido, em apenas dois dias, mais de R$ 110 mil.
 
As investigações apontaram que José Maria possui uma sociedade empresarial com Mariuzan Bonfá, também investigado na operação. Eles são proprietários da Transportes Gold Ltda, que teria recebido R$ 114.675,00 da MJFS Auto Center Ltda (Leser Pneus), em um intervalo de apenas dois dias.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet