Olhar Jurídico

Quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024

Notícias | Criminal

TERRENOS E VEÍCULOS APREENDIDOS

Juiz condena quadrilha que movimentou R$ 6 milhões com roubo de carros de luxo em Cuiabá e VG

Foto: Reprodução

Juiz condena quadrilha que movimentou R$ 6 milhões com roubo de carros de luxo em Cuiabá e VG
O juiz Jean Garcia de Freitas Bezerra condenou os membros de uma quadrilha especializada no roubo, furto e venda de veículos em Cuiabá e Várzea Grande. Apontado como líder do grupo, Wellington de Moura Sanches recebeu pena de 18 anos de prisão em regime fechado, e teve a prisão mantida. Seu comparsa, identificado como Joenil de Campos Júnior, recebeu 20 anos, sem o direito de recorrer em liberdade. Sentença foi proferida no dia 30 de janeiro.

Leia mais
Justiça mantém prisão de suposto líder de organização criminosa que movimentou R$ 6 milhões com carros roubados

Conforme os autos, o grupo movimentou mais de R$ 6 milhões proveniente dos crimes de estelionato, furtos, roubos, adulteração de sinal identificador e falsidade ideológica, inclusive utilizando-se da empresa RBR Veículos para lavar milhões.

Eles foram alvos da Operação Imperial, deflagrada em 2021 pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores (Derfva). Segundo as investigações, o grupo alugava imóveis em regiões nobres de Cuiabá para esconder os automóveis das vítimas.

Além dos dois, também foram condenados Rosana dos Anjos Marques, mulher de Wellington, a oito anos de prisão, Wender Ferreira a nove anos no regime fechado, sem direito de responder livre, Alex Lima Ferreira, a dez anos e Gustavo Firmino da Silva a 16 anos.

Com exceção de Rosana, todos os réus responderão à sentença presos. Somente ela poderá recorrer em liberdade.

O magistrado também sequestrou uma série de bens dos réus, como carros, jet-ski, e imóveis. Três carros modelo Corolla, Toyota Yaris, Upper, Renaut, Hb20, uma caminhonete Ford Ranger, uma Land Rover, uma moto aquática Sea-Doo, uma Toro e um Jeep Renegade constam na lista de bens apreendidos. Dois terrenos em Tangará da Serra e um em Cuiabá também foram bloqueados.

Por fim, o magistrado determinou que os condenados devolvam R$ 301.600,00 a título de indenização às vítimas lesadas.

 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet