Olhar Jurídico

Quinta-feira, 23 de maio de 2024

Notícias | Criminal

envio pelos Correios

Grupo liderado por ex-vereador usava pesos de academia e frascos de shampoo para transportar mercúrio

Foto: Polícia Federal

Grupo liderado por ex-vereador usava pesos de academia e frascos de shampoo para transportar mercúrio
Pesos de academia, frascos de shampoo, fabricação de martelo, envio pelos Correios e modificação de veículos foram algumas das formas supostamente utilizadas pelos alvos da Operação Hermes II, da Polícia Federal, para comercialização de mercúrio ilegal em garimpos no país.


Leia mais
Empresário que confessou esquema de comércio ilegal de mercúrio afirmou que 'Dodo Escobar' era desorganizado


De acordo com as investigações, o esquema possivelmente liderado por Arnoldo Veggi, o “Dodo Escobar”, usava diversas maneiras para tentar esconder o transporte ilegal do elemento.

Em um dos diálogos interceptados, a Polícia Federal identificou que Arnoldo e Rodrigo Castrilon Lara Veiga tratam sobre a possibilidade de enviar mercúrio do México para a Bolívia.

No decorrer da conversa, “Dodo Escobar” confessou que já enviou 30 kg de mercúrio pelos Correios para São Paulo, em três levas de 10 kg cada, em frascos de shampoo.

Rodrigo, inclusive, chegou a debochar do método e questionou: “Quem envia shampoo de 10 kg?”. As investigações indicam que Rodrigo seria um dos principais responsáveis pelo transporte e distribuição de mercúrio ilegal comercializado pela organização criminosa, e também atuaria como vendedor e intermediário entre alguns compradores.

Outro método usado seria a modificação de veículos para transportar elevadas quantidades, de forma oculta. Ainda das interceptações, há diálogos em que Rodrigo e Veggi discutem como transportar o elemento para clientes no Pará, ainda com possibilidade de transporte da Bolívia para canal no Chile.

André Ponciano Luiz é indicado como um dos responsáveis pela operação dos negócios e logística do transporte. Conversas capturadas entre ele e Dodo Escobar revelam que eles vendiam mercúrio para José Ribamar Oliveira e que, para tal, André teria usado um veículo Duster para buscar o elemento. Material teria sido escondidos em um macaco hidráulico industrial.

Para camuflar o transporte, há ainda conversas que tratam sobre a produção de pesos de academia recheados de mercúrio, além de que Dodo e André estariam fabricando martelos para serem preenchidos com o elemento, visando o comércio para o México e a Bolívia.

A Polícia Federal também indicou que Ali Veggi, pai de Dodo, seria o responsável por pedir autorização do mercúrio ao Ibama. Inclusive, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão na casa de Ali, no âmbito da primeira fase da operação, agentes encontraram 56 toneis de mercúrio com capacidade para 34,5 kg em cada um.

“Ali atuava na coordenação da introdução de mercúrio ilegal no Brasil, pela fronteira com a Bolívia, tendo, inclusive, instruído Arnoldo para adaptar veículos para trazer o mercúrio escondido, mencionando que o motorista poderia levar uma carretinha com mercúrio a cada dois ou três dias; que há um vídeo enviado por Arnoldo a Ali, em que uma pessoa injeta mercúrio dentro de um martelo e, na sequência, comprovante da DHL informando que o material saiu da Cidade do México com destino à Santa Cruz, na Bolívia”, diz trecho dos autos.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet