Olhar Jurídico

Sábado, 22 de junho de 2024

Notícias | Eleitoral

biênio 2023/2024

'Trabalho que dá resultado': gestão no TRE deixa legado de transparência, eficiência e inovação

Foto: TRE-MT

'Trabalho que dá resultado': gestão no TRE deixa legado de transparência, eficiência e inovação
A sessão plenária que marcou o encerramento do biênio do desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha como presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), e da desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho como vice-presidente e corregedora regional eleitoral ocorreu na manhã desta quinta-feira (27), data do fim da gestão. As desembargadoras Maria Aparecida Ribeiro e Serly Marcondes Alves foram escolhidas para ocupar os cargos que foram abertos por Carlos e Nilza. Nesta sexta-feira (28), o Pleno do TRE fará uma votação para decidir qual das duas assumirá a presidência e a vice, respectivamente. 


Leia mais
Entrega de honrarias e lançamento de livro marcam os 90 anos da Justiça Eleitoral em Mato Grosso
 
A cerimônia foi marcada por discursos inflamados pelo sentimento de despedida, cujas falas proferidas foram uníssonas em registrar um biênio de “trabalho que dá resultado”, equilibrado entre celeridade, eficiência, parcimônia e sensibilidade.

Os desembargadores foram empossados no mesmo dia em que encerram seus mandatos, em 27 de abril de 2021, e apresentaram breve balanço do tempo em que estiveram à frente do tribunal.

Durante os dois anos de mandato, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha destacou-se por sua atuação na modernização do sistema eleitoral e na promoção da transparência das eleições no estado de Mato Grosso. Já a desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, como corregedora eleitoral, teve papel fundamental na garantia da lisura e da legalidade do processo eleitoral no estado.

Agora na condição de ex-presidente, o desembargador Carlos Alves da Rocha fez seu discurso de despedida elencando os pontos positivos da gestão e deixando claro a sensação de missão cumprida, por ter realizado 100% das demandas que chegaram para o tribunal durante os dois anos em que o presidiu. Agradecimentos a familiares, aos eleitores e a todos os servidores do TRE também fizeram parte da fala de Carlos. 

“Hoje somos o Tribunal mais produtivo, transparente e sustentável do Brasil, e estes foram apenas alguns dos prêmios recebidos nos últimos dois anos, entre os quais, destaco o Selo Diamante do Prêmio de Qualidade do Conselho Nacional de Justiça. É um feito inédito que ficará registrado nos anais da história deste Tribunal. Durante estes dois anos, procurei fazer uma gestão focada no investimento tecnológico, no planejamento, no diálogo, na capacitação, na inovação e no(a) eleitor(a), nosso maior patrimônio”, discursou Alves da Rocha.

“Procuramos sempre garantir acessibilidade inclusivos e comunicação com a sociedade. Transformamos cargos sem qualquer aumento de despesas, ampliando número de servidores para melhor prestação jurisdicional. Nosso plano de gestão para o biênio incluiu três ações: enfrentamento à corrupção, improbidade administrativa e aos ilícitos eleitorais, pois não poderíamos mais permitir atos que fraudassem o processo eleitoral. Sem dúvidas, entendemos que conseguimos”, acrescentou.

A vice-presidente Nilza Pôssas se despediu com profundo sentimento de gratidão e sensação de missão cumprida. Destacou um “turbilhão de emoções”, afirmando “gratidão” é a palavra capaz de resumir tudo isso. Ela ponderou o trabalho árduo do TRE para realizar as eleições presidenciais de 2022, que segundo ela, foi a mais acirrada da história da democracia brasileira.

“Enfrentamos a eleição mais difícil e acirrada da história da democracia. Nossa gestão foi pautada na celeridade, enfrentamento à corrupção, combate às fake News, o que resultou no selo. Cumprimos as metas impostas”, afirmou.

Jackson Coutinho, juiz-membro do Tribunal reforçou no seu discurso uma mistura entre tristeza e alegria. Tristeza pela despedida de duas pessoas que, segundo ele, fizeram diferença em sua trajetória como juiz e, além disso, impactaram positivamente na vida de todos os cidadãos de Mato Grosso.

Para o jurista, Carlos e Nilza souberam conduzir as eleições polarizadas de uma forma que os membros do Tribunal não se sobrecarregassem, quiçá transpassassem o limite do razoável diante das situações provenientes da situação polarizada.

“Isso só pode ser feito tendo um bom maestro na regência desse pleno. Carlos Alberto me recebeu como um filho, me ensinou e com ajuda dele já estou no terceiro biênio do pleno do TRE. Profunda admiração pela senhora Nilza, que equilibra firmeza e delicadeza. Levarei a senhora por toda vida no meu coração”, disse o juiz.

Presente na cerimônia, a presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso, Gisela Cardoso fez questão de ressaltar a especialidade do biênio. Segundo Gisela, os destaques da gestão foram na condução de uma das mais desafiadoras eleições, cuja realização e organização mereceram ser ressaltados.

Além disso, apontou o combate às notícias falsas e crimes eleitorais. “Gestão selo Diamante (premiação inédita recebida pelo TER do Conselho Nacional de Justiça) Gestão de Alves da Rocha e possas de Carvalho, marcada pela cobrança firme, mas, também, pela sensibilidade. Quero em nome da advocacia, ressaltar que, no mais elevado respeito a atividade da advocacia, esse tribunal se pautou. A todos que fizeram parte da gestão, os mais sinceros agradecimentos. Desejamos êxito aos novos desafios e, mais uma vez, coloco a OAB-MT à disposição para estar sempre ladeando na defesa do estado democrático de direito”, finalizou.

A procuradora regional eleitoral substituta, Ludmilla Bortoleto Monteiro, ressaltou o trabalho feito pelos desembargadores Carlos Alberto Alves da Rocha e Nilza Maria Pôssas de Carvalho. “Considero que essa gestão revolucionou o TRE-MT em termos de eficiência e celeridade. Já trabalhei antes na Procuradoria Regional Eleitoral e posso dizer que as demais gestões foram primorosas, mas acho que a eficiência, celeridade e o dinamismo na condução dos julgamentos foram os diferenciais desta gestão”.

Realizada em formato presencial, a sessão foi sucedida pela solenidade de entrega dos colares de mérito eleitoral, dos broches de lapela ouro e dos certificados de honra outorgados aos juízes-membros, titulares e substitutos.

Além do presidente e da vice-presidente, o diploma de encerramento também foi entregue à desembargadora Serly Marcondes Alves, cujo biênio como juíza-membro substituta do TRE-MT termina nesta data, 27 de abril de 2023.
 
Ao final da solenidade, foi realizado o ato de aposição dos retratos dos desembargadores Carlos Alberto Alves da Rocha e Nilza Maria Pôssas de Carvalho, nas galerias de presidente e de corregedores regionais eleitorais, respectivamente.
A cerimônia foi marcada por discursos inflamados pelo sentimento de despedida, cujas falas proferidas foram uníssonas em registrar um biênio de “trabalho que dá resultado”, equilibrado entre celeridade, eficiência, parcimônia e sensibilidade.

Os desembargadores foram empossados no mesmo dia em que encerram seus mandatos, em 27 de abril de 2021, e apresentaram breve balanço do tempo em que estiveram à frente do tribunal.

Durante os dois anos de mandato, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha destacou-se por sua atuação na modernização do sistema eleitoral e na promoção da transparência das eleições no estado de Mato Grosso. Já a desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, como corregedora eleitoral, teve papel fundamental na garantia da lisura e da legalidade do processo eleitoral no estado.

Agora na condição de ex-presidente, o desembargador Carlos Alves da Rocha fez seu discurso de despedida elencando os pontos positivos da gestão e deixando claro a sensação de missão cumprida, por ter realizado 100% das demandas que chegaram para o tribunal durante os dois anos em que o presidiu. Agradecimentos a familiares, aos eleitores e a todos os servidores do TRE também fizeram parte da fala de Carlos. 

“Hoje somos o Tribunal mais produtivo, transparente e sustentável do Brasil, e estes foram apenas alguns dos prêmios recebidos nos últimos dois anos, entre os quais, destaco o Selo Diamante do Prêmio de Qualidade do Conselho Nacional de Justiça. É um feito inédito que ficará registrado nos anais da história deste Tribunal. Durante estes dois anos, procurei fazer uma gestão focada no investimento tecnológico, no planejamento, no diálogo, na capacitação, na inovação e no(a) eleitor(a), nosso maior patrimônio”, discursou Alves da Rocha.

“Procuramos sempre garantir acessibilidade inclusivos e comunicação com a sociedade. Transformamos cargos sem qualquer aumento de despesas, ampliando número de servidores para melhor prestação jurisdicional. Nosso plano de gestão para o biênio incluiu três ações: enfrentamento à corrupção, improbidade administrativa e aos ilícitos eleitorais, pois não poderíamos mais permitir atos que fraudassem o processo eleitoral. Sem dúvidas, entendemos que conseguimos”, acrescentou.

A vice-presidente Nilza Pôssas se despediu com profundo sentimento de gratidão e sensação de missão cumprida. Destacou um “turbilhão de emoções”, afirmando “gratidão” é a palavra capaz de resumir tudo isso. Ela ponderou o trabalho árduo do TRE para realizar as eleições presidenciais de 2022, que segundo ela, foi a mais acirrada da história da democracia brasileira.

“Enfrentamos a eleição mais difícil e acirrada da história da democracia. Nossa gestão foi pautada na celeridade, enfrentamento à corrupção, combate às fake News, o que resultou no selo. Cumprimos as metas impostas”, afirmou.

Jackson Coutinho, juiz-membro do Tribunal reforçou no seu discurso uma mistura entre tristeza e alegria. Tristeza pela despedida de duas pessoas que, segundo ele, fizeram diferença em sua trajetória como juiz e, além disso, impactaram positivamente na vida de todos os cidadãos de Mato Grosso.

Para o jurista, Carlos e Nilza souberam conduzir as eleições polarizadas de uma forma que os membros do Tribunal não se sobrecarregassem, quiçá transpassassem o limite do razoável diante das situações provenientes da situação polarizada.

“Isso só pode ser feito tendo um bom maestro na regência desse pleno. Carlos Alberto me recebeu como um filho, me ensinou e com ajuda dele já estou no terceiro biênio do pleno do TRE. Profunda admiração pela senhora Nilza, que equilibra firmeza e delicadeza. Levarei a senhora por toda vida no meu coração”, disse o juiz.

Presente na cerimônia, a presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso, Gisela Cardoso fez questão de ressaltar a especialidade do biênio. Segundo Gisela, os destaques da gestão foram na condução de uma das mais desafiadoras eleições, cuja realização e organização mereceram ser ressaltados.

Além disso, apontou o combate às notícias falsas e crimes eleitorais. “Gestão selo Diamante (premiação inédita recebida pelo TRE do Conselho Nacional de Justiça) Gestão de Alves da Rocha e possas de Carvalho, marcada pela cobrança firme, mas, também, pela sensibilidade. Quero em nome da advocacia, ressaltar que, no mais elevado respeito a atividade da advocacia, esse tribunal se pautou. A todos que fizeram parte da gestão, os mais sinceros agradecimentos. Desejamos êxito aos novos desafios e, mais uma vez, coloco a OAB-MT à disposição para estar sempre ladeando na defesa do estado democrático de direito”, finalizou.

A procuradora regional eleitoral substituta, Ludmilla Bortoleto Monteiro, ressaltou o trabalho feito pelos desembargadores Carlos Alberto Alves da Rocha e Nilza Maria Pôssas de Carvalho. “Considero que essa gestão revolucionou o TRE-MT em termos de eficiência e celeridade. Já trabalhei antes na Procuradoria Regional Eleitoral e posso dizer que as demais gestões foram primorosas, mas acho que a eficiência, celeridade e o dinamismo na condução dos julgamentos foram os diferenciais desta gestão”.

Realizada em formato presencial, a sessão foi sucedida pela solenidade de entrega dos colares de mérito eleitoral, dos broches de lapela ouro e dos certificados de honra outorgados aos juízes-membros, titulares e substitutos.

Além do presidente e da vice-presidente, o diploma de encerramento também foi entregue à desembargadora Serly Marcondes Alves, cujo biênio como juíza-membro substituta do TRE-MT termina nesta data, 27 de abril de 2023.
 
Ao final da solenidade, foi realizado o ato de aposição dos retratos dos desembargadores Carlos Alberto Alves da Rocha e Nilza Maria Pôssas de Carvalho, nas galerias de presidente e de corregedores regionais eleitorais, respectivamente.


 
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet