Olhar Jurídico

Domingo, 14 de julho de 2024

Notícias | Criminal

disputa por terra

Fazendeiro mandou matar advogado por suspeitar de proximidade com desembargador, conclui delegado

09 Jul 2024 - 10:41

Da Redação - Arthur Santos da Silva/ Do Local - Luis Vinicius

Foto: Olhar Direto

Delegado Nilson Farias

Delegado Nilson Farias

Delegado Nilson Farias esclareceu nesta terça-feira (9), durante entrevista coletiva, que a execução do advogado Roberto Zampieri teria sido motivada porque o suspeito de mando do crime, Aníbal Manoel Laurindo, acreditava na existência de proximidade “obscura” entre a vítima e um desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.


Leia também 
Linha de investigação cita amizade e decisão de desembargador como 'estopim' para execução de advogado

 
“A motivação do homicídio é que ele, o mandante, acreditava que existia uma proximidade do advogado Roberto Zampieri com um desembargador. Esse é o motivo, a motivação. Agora, eventual investigação sobre esse caso (proximidade entre desembargador e advogado), cabe ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que inclusive já está fazendo aí suas vezes, pediu a análise do celular (da vítima) para poder fazer as investigações devidas”, explicou Nilson Farias.
 
Conforme noticiado pelo Olhar Direto, a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu o inquérito policial do assassinato do advogado, indiciando Aníbal. As provas foram insuficientes para indiciar a esposa de Aníbal, Elenice Ballaroti Laurindo.

Olhar Direto também havia noticiado que a PJC investigava se decisão do desembargador Sebastião de Moraes Filho teria sido o “estopim” para a execução de Zampieri.
 
Aníbal Manoel Laurindo, suspeito de mandar matar a vítima, estaria envolvido em ação que discutia posse de uma área rural com mais de 4 mil hectares. Ele teria sido atingido por decisão para desocupação sobre terceiros.
 
Posteriormente, conseguiu suspender temporariamente a desocupação junto ao Tribunal de Justiça (TJMT). Anibal teria, no âmbito de um recurso interposto no Tribunal de Justiça, arguido a suspeição do desembargador Sebastião, por supostas relações com o advogado Roberto Zampieri.
 
Acolhida a exceção de suspeição pelo próprio desembargador, este viu por bem revogar a decisão que impedia a imediata imissão na posse da propriedade pertencente ao investigado Anibal, o que, segundo a Autoridade Policial, teria sido o estopim da ordem para execução da vítima.
 
A morte
 
O advogado Roberto Zampieri foi assassinado com disparos de arma de fogo em dezembro de 2023, no bairro Bosque da Saúde, próximo ao escritório dele.
 
O Núcleo de Defesa da Vida do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) já denunciou Antonio Gomes da Silva, Hedilerson Fialho Martins Barbosa e Etevaldo Luiz Caçadini de Vargas por homicídio triplamente qualificado.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet