Olhar Jurídico

Segunda-feira, 08 de agosto de 2022

Notícias | Civil

peculato

MP requer homologação de acordo com enfermeira acusada de roubar testes de Covid-19 da Santa Casa

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

MP requer homologação de acordo com enfermeira acusada de roubar testes de Covid-19 da Santa Casa
Ministério Público de Mato Grosso (MPE) requereu a homologação de Acordo de Não Persecução Civil em nome da enfermeira Gilnara Galvão Torres, acusada de se apropriar de insumos e testes de Covid-19 do Hospital Santa Casa.

Leia também 
Promotor abre inquérito para investigar furto de testes de Covid-19 no Hospital Santa Casa; enfermeira firma acordo

 
Gilnara foi presa em flagrante, no ano de 2021, por policiais civis, pela suposta prática do crime de peculato, por ter se apropriado de dezenas de testes do Covid e outros materiais relacionados à sua atividade, porém pertencentes ao referido hospital.
 
Os materiais apreendidos em poder da requerida foram avaliados pela Delegacia Especializada em Combate a Corrupção no valor de R$ 1.390,59. Segundo o MPE, a obrigação de ressarcir ao erário já ficou estipulado no Acordo de Não Persecução Penal, na Sétima Vara Criminal de Cuiabá,
 
No âmbito criminal, ficou firmada a obrigação de multa civil equivalente ao valor do dano, no montante atualizado de R$1.628,08, bem como a obrigação de dano moral coletivo no valor de R$ 800,00, totalizando o montante de R$ 2.428,08.
 
“Em razão do exposto e considerando que todos os requisitos exigidos pelo artigo 17-B, da Lei nº 8.429/92, foram observados na pactuação do ANPC, o Ministério Público Estadual requer a homologação judicial do Acordo de Não Persecução Civil-ANPC firmado entre o Ministério Público Estadual e GILNARA GALVÃO TORRES”, finalizou o promotor de Justiça Marcos Regenold.
 
Acordo aguarda para ser homologado na Vara especializada em Ações Coletivas.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet