Olhar Jurídico

Quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Notícias | Eleitoral

DENÚNCIA ELEITORAL

Sem provas de suposta compra de votos, juiz arquiva inquérito contra Emanuelzinho

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Sem provas de suposta compra de votos, juiz arquiva inquérito contra Emanuelzinho
Inquérito policial que tinha como investigado o deputado federal Emanuelzinho (PTB) foi arquivado pelo juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira, da 51ª Zona Eleitoral de Mato Grosso. A decisão é de 25 de outubro e foi publicada no Diário Eletrônico desta sexta-feira (12).

Leia também:
Max avalia que filiação de Bolsonaro ao PL não significa fortalecimento de Wellington: 'traz ganhos e prejuízos'

O inquérito foi instaurado para investigar suposta compra de votos durante reunião no bairro Jardim Primavera, em outubro de 2018, quando o petebista disputou a eleição à Câmara Federal. A acusação foi feita por meio de denúncia realizada pelo aplicativo Pardal.

Durante as investigações, no entanto, a Polícia Federal não conseguiu elementos que comprovassem a compra de votos. Conforme a apuração policial, nem a reunião que teria sido realizada para a oferta de dinheiro em troca de votos realmente aconteceu.

“Logo, pela análise dos elementos de prova coletados pela autoridade policial, constata-se que não há indicativos da oferta ou promessa de vantagem em troca de voto, muito menos a sua distribuição, razão pela qual se torna temerária a propositura de ação penal, ante a clara e evidente ausência de justa causa, consubstanciada na inexistência de lastro "probatório" mínimo a amparar uma acusação criminal”, diz trecho do parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE), que foi seguido pelo magistrado.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet