Olhar Jurídico

Terça-feira, 22 de junho de 2021

Notícias / Criminal

Tribunal do Júri

Homem é condenado a 24 anos de prisão por matar filho de cinco anos

Da Redação - Arthur Santos da Silva

10 Jun 2021 - 09:09

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Homem é condenado a 24 anos de prisão por matar filho de cinco anos
Jonas Pereira Teixeira foi julgado pelo Tribunal do Júri e condenado a 24 anos e 22 dias de reclusão em Sinop (a 500km de Cuiabá), por homicídio duplamente qualificado - emprego de meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima - do filho de cinco anos.

Leia também 
Juiz marca ação para Cattani dizer se vai pagar 20 salários ou prestar serviço para se livrar de ação


A sessão de julgamento ocorreu na terça-feira (8), quando o Conselho de Sentença, por maioria, acolheu a tese do Ministério Público e reconheceu a materialidade e a autoria do crime. O condenado, que está recolhido na Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira (Ferrugem), cumprirá a pena inicialmente em regime fechado. A decisão é passível de recurso.  

Conforme a denúncia da 1ª Promotoria de Justiça Criminal da comarca, Jonas Pereira Teixeira matou o filho Davi dos Santos Vasconcelos Pereira dentro de casa, no bairro Vila Mariana, em fevereiro de 2018. Na ocasião, Jonas fazia uso de entorpecente do tipo pasta-base de cocaína, enquanto a vítima brincava sozinha. Em dado momento, o pai passou a espancar e estrangular a criança com um rodo, causando-lhe múltiplas lesões internas e externas.

“O crime em questão fora cometido por meio cruel consistente no espancamento e asfixia por estrangulamento, consoante narrado no laudo pericial, que causou intenso e desnecessário sofrimento à vítima. Tem-se, ainda, consubstanciado o recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima, eis que Davi se tratava de uma criança de apenas cinco anos de idade e fora sorrateiramente surpreendida e espancada até a morte pelo próprio genitor, que se valeu de um rodo para tanto”, narra a denúncia.   

Ao ser interrogado pelas autoridades policial e judicial, Jonas Teixeira confessou a prática delitiva.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet