Olhar Jurídico

Sábado, 15 de maio de 2021

Notícias / Eleitoral

propaganda eleitoral

Inquérito faz buscas para apurar suposta infração cometida por vereador em 2020

Da Redação - Arthur Santos da Silva

04 Mai 2021 - 11:37

Foto: Reprodução

Inquérito faz buscas para apurar suposta infração cometida por vereador em 2020
O vereador Sargento Joelson (SD) está sendo investigado em inquérito sobre possível prática de propaganda eleitoral irregular no pleito de 2020. Apuração tem como base denúncia feita por meio de aplicativo Pardal. Fotografia levanta a possibilidade de que um carro circulou em frente ao local de votação com objetos ligados a Joelson.

Leia também 
PF pede mais prazo para investigar campanhas de Wilson Santos em 2008 e 2014

 
A Polícia Federal (PF) solicitou o compartilhamento dos dados cadastrais do sistema Pardal para que haja contato com o denunciante. Objetivo é obter mais informações sobre os fatos.
 
A PF também requereu que se identifique o secretário do prédio da escola municipal Marechal Rondon, situada em Cuiabá, no dia do 1º turno das eleições municipais de 2020. A entrevista com a pessoa servirá para verificar se, no 1º Turno das Eleições, o candidato realizou propaganda eleitoral irregular.
 
A Polícia Federal solicitou ainda diligências no sentido de descobrir a pessoa proprietária do veículo. Com a qualificação, serão colhidas informações relacionadas ao fato apresentado, “especialmente visando a identificação da pessoa que teria determinado a realização da propaganda”.
 
NOTA
 
Sobre o inquérito instaurado a partir de denúncia anônima no aplicativo "Pardal" citada nesta matéria: O vereador Sargento Joelson (SDD) informa que só tomou ciência da existência do referido inquérito por meio da imprensa e que até o momento não recebeu nenhuma intimação por parte da autoridade policial, sendo certo que caso isso ocorra, está à total disposição da justiça para colaborar prestando os esclarecimentos que forem necessários. Salienta ainda que, compulsando os autos do inquérito, constata-se que o próprio delegado da Polícia Federal que conduz as investigações sugeriu ao Ministério Público o arquivamento do inquérito, à míngua de provas ou elementos mínimos que confirmem a veracidade da fotografia ou ao menos que ela tenha sido tirada no dia das eleições. Mesmo assim o Ministério Público pediu por conta própria algumas diligências a serem realizadas nos próximos 90 dias. O vereador afirma que não agiu e nem realizou nada que desabone sua eleição, mas vê salutar as investigações: “Minha campanha eleitoral foi limpa, transparente e em estrita observância à legislação eleitoral, tanto é que não tive uma única ação, impugnação ou representação promovida contra mim. O Ministério Público possui essa prerrogativa como fiscal da lei, é a sua função. Faz parte do estado democrático de direito.
 
Assessoria vereador Sargento Joelson ( SDD)

Comentários no Facebook

Sitevip Internet