Olhar Jurídico

Domingo, 07 de março de 2021

Notícias / Civil

IPhones licitados por R$ 1,6 milhão no MPE barram espionagem, justificou documento

Da Redação - Arthur Santos da Silva

18 Fev 2021 - 16:44

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

IPhones licitados por R$ 1,6 milhão no MPE barram espionagem, justificou documento
Licitação no Ministério Público de Mato Grosso (MPE) que previu a compra de 201 aparelhos iPhone 11 Pro Max pelo valor de R$ 1,6 milhão se apoiou em comparativo entre os sistemas operacionais Android e IOS. Informação consta em relatório técnico apresentado pelo Departamento de Tecnologia da Informação do órgão. Segundo técnicos, iPhones propiciam mais segurança contra espionagem.

Leia também 
MP diz que compra de iPhones por R$ 1,6 mi será para substituição de notebooks e computadores

 
“Apesar de ambos sistemas operacionais possuírem suas vantagens e desvantagens, o quesito segurança tornou-se fator de alta relevância devido a natureza das atividades desempenhadas pelos membros do Ministério Público do Estado de Mato Grosso”, diz trecho do documento.

Segundo os autos, de acordo com comparativo de 2009 a 2018, observou-se que o Android teve 1.886 vulnerabilidades relatadas. O iOS, por outro lado, teve 1.458.
 
Conforme relatório, no quesito “espionagem” do sistema IOS, os usuários são alertados em tempo real sempre que um aplicativo captura áudio ou vídeo do aparelho, além de fornecer uma lista dos apps que acessaram recentemente o microfone ou câmera.
 
“Essa função não é encontrada nativa no sistema operacional Android, porém é possível baixar um aplicativo que promete o mesmo monitoramento, sendo ele encontrado na Google Play”, alertou o Ministério Público.
 
Ainda segundo o Ministério Público, o sistema IOS tem a função de controle de acesso a pastas, não permitindo que um aplicativo acesse as fotos do smartphone. “Esta funcionalidade não é encontrada nativa no Android, e não foi localizado durante análise um aplicativo com função semelhante”.
 
A licitação
 
Licitação prevê ainda a compra de 64 aparelhos Galaxy Note 20 Ultra 5G, pelo valor de R$ 404.992,00, 120 unidades do aparelho Galaxy A01, pelo valor de R$ 96.960,00, e 15 aparelhos Samsung Galaxy S10, pelo valor de R$ 46.800,00.
 
Segundo o Ministério Público, a compra foi justificada pela necessidade da troca dos notebooks e desktops (computadores de mesa) em decorrência do fim dos contratos e da garantia. Foi realizado um estudo que apontou que a melhor solução tecnológica para substituir os computadores seriam os aparelhos celulares de tecnologia de ponta.

Processo

Ação questiona e tenta suspender processo licitatório do Ministério Público Estadual (MPE) para gasto de R$ 2,2 milhões com a compra de 400 smartphones.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet