Olhar Jurídico

Terça-feira, 01 de dezembro de 2020

Notícias / Administrativo

Impedido de concorrer, Carlos Alberto afirma que está neutro: 'não estou apoiando ninguém'

Da Redação - Arthur Santos da Silva/ Max Aguiar

19 Nov 2020 - 14:24

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Impedido de concorrer, Carlos Alberto afirma que está neutro: 'não estou apoiando ninguém'
Presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), Carlos Alberto Alves da Rocha ressaltou que não está apoiando colegas na eleição marcada para o dia 26 de novembro. Manifestação surge após sua tentativa de reeleição ser barrada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Leia também 
Maggi pede para acessar ação contra 10 ex-deputados acusados de mensalinho; juiz manda justificar


“Por enquanto não estou apoiando ninguém, por enquanto estou neutro”, afirmou o desembargador durante cerimônia de pactuação do Plano Estadual do Programa Fazendo Justiça.

Luiz Ferreira da Silva, Sebastião de Moraes Filho, Maria Helena Póvoas e Juvenal Pereira se inscreveram para o pleito que escolherá o próximo presidente.
 
O novo edital surgiu após o atual presidente, Carlos Alberto Alves da Rocha, ser impedido de buscar recondução. Decisão que vedou reeleição foi proferida pelo Conselho Nacional de Justiça.

A votação se dará de forma eletrônica e os escrutínios ocorrerão em sessão extraordinária administrativa do Tribunal Pleno, por videoconferência, planejada para o dia 26 de novembro de 2020.
 
Carlos Aberto falou ainda sobre o edital para eleger nove novos desembargadores. “Estamos aguardando exatamente esse eleição [para presidente]”, explicou o magistrado. “Sobre os novos desembargadores. Quinta-feira que vem, de hoje mais uma semana, a eleição, aí vamos ver, quem for vitorioso, o que vai dar”.
 
A Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) já aprovou a criação das nove novas cadeiras no TJMT. Segundo informado no projeto, sete serão destinadas a juízes e outras duas, do chamado quinto constitucional, serão da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e do Ministério Público Estadual.
 
Com a escolha dos novos membros, a composição do TJMT será alterada, passando a funcionar com cinco Câmaras de Direito Privado, quatro Câmaras Criminais e três Câmaras de Direito Público e Coletivo.

Além das nove vagas criadas recentemente, o TJMT também publicará edital para substituir a aposentadoria do desembargador Alberto Ferreira de Souza.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet