Olhar Jurídico

Quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Notícias / Eleitoral

Jurídico de Miguel Vaz contesta determinação e esclarece que não houve busca e apreensão em comitê

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

16 Out 2020 - 16:00

Foto: Divulgação

Jurídico de Miguel Vaz contesta determinação e esclarece que não houve busca e apreensão em comitê
O coordenador jurídico da Coligação ‘Lucas no rumo certo’, encabeçada pela candidatura do empresário Miguel Vaz (Cidadania) à prefeitura de Lucas do Rio Verde, informou que não houve busca e apreensão do material de sua campanha em seu comitê, apesar da determinação do juiz eleitoral do município, Cristiano dos Santos Fialho.
 
Leia mais
Justiça determina busca e apreensão de todo material de campanha de candidato a prefeito

 
De acordo com a contestação feito pela equipe jurídica da coligação, os servidores da Justiça Eleitoral que compareceram ao comitê nesta quinta-feira (15), constataram que o ‘material tido por irregular não estava em sintonia – incompatíveis com os apontados na exordial – com o denunciado.
 
O juiz eleitoral Cristiano dos Santos Fialho, havia determinou a busca e apreensão do material de campanha do candidato a prefeito Miguel Vaz (Cidadania) e que a coligação “Gente que Faz” retire imediatamente todo o conteúdo da rua e os divulgados nas redes sociais.
 
Conforme o magistrado, havia irregularidades no nome do candidato a prefeito, assim como do vice no material produzido e distribuído por Vaz.
 
A determinação atendeu a um pedido da chapa “Lucas no Rumo Certo”, encabeçada pela candidatura do prefeito Luiz Binotti (PSD).
 
“Excelência, não é novidade para este Douto Juizo que a Representante vem ardilosamente e incessantemente desrespeitando as decisões proferidas por esta Especializada, pois descumprem tutelas deferidas em processos em trâmite nesta e. Zona Eleitoral (liminares), burlam pesquisas, e agora, usam de sua mais nova tática, induzir à erro a Justiça Eleitoral”, diz trecho da contestação.
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet