Olhar Jurídico

Segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Notícias / Eleitoral

Registro de candidatura de Taques discutirá anotação sobre inelegibilidade; ex-governador não vê problema

Da Redação - Arthur Santos da Silva

16 Set 2020 - 15:22

Foto: Rogério Florentino/ Olhar Direto

Registro de candidatura de Taques discutirá anotação sobre inelegibilidade; ex-governador não vê problema
Provável pré-candidato pelo Solidariedade ao cargo de senador, o ex-governador Pedro Taques terá mais dificuldade do que o normal para conseguir registrar candidatura. No dia oito de setembro o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) condenou o político a pagar multa de R$ 50 mil por conduta vedada na Caravana da Transformação durante o ano de 2018. Além da multa, houve anotação no sistema informativo do TRE sobre possibilidade de inelegibilidade em candidatura futura.

Leia também 
Alegações finais do Ministério Público pedem cassação de Carlos Avalone

 
Anotação não tem força para decretar automaticamente sua inelegibilidade. A informação, porém, será levada em conta durante o registro de sua candidatura, conforme explicou o juiz eleitoral Jackson Coutinho, relator do caso que condenou Taques no TRE. A explicação de Jackson Coutinho foi estabelecida em seu voto durante a sessão do dia oito de setembro. 
 
Quando da condenação, Pedro Taques divulgou nota afirmando que “não há que se falar em inelegibilidade, ou seja, não existe proibição para se candidatar, pois até o ex-governador tem direito ao devido processo legal, com os recursos judiciais que dele decorrem”. 
 
A convenção que definirá de forma oficial a volta de Pedro Taques para a política estadual ocorre nesta quarta-feira (16), às 20h, em Cuiabá.
 
Confira a nota que foi divulgada por Taques:
 
O ex-governador Pedro Taques expressa total respeito a Decisão do TRE, e aos seus Cultos Magistrados. 

No entanto, não há que se falar em inelegibilidade, ou seja, não existe proibição para se candidatar, pois até o ex governador tem direito ao devido processo legal, com os recursos judiciais que dele decorrem. 

Valendo lembrar que não foi representado por roubo de recursos ou corrupção.
 
Está sendo julgado por ter feito três edições da Caravana da Transformação no ano de 2018, nas regiões de Cáceres, Cuiabá e Sinop, oportunidades em que mais de 23 mil pessoas passaram por atendimento médico. 
 

Comentários no Facebook

Sitevip Internet