Olhar Jurídico

Terça-feira, 07 de abril de 2020

Notícias / Civil

Juiz bloqueia empresas, imóveis e carro em ação de R$ 805 mil contra acusada por morte de cantor

Da Redação - Arthur Santos da Silva

25 Mar 2020 - 09:00

Foto: Reprodução

Juiz bloqueia empresas, imóveis e carro em ação de R$ 805 mil contra acusada por morte de cantor
O juiz Yale Sabo Mendes determinou o bloqueio de duas empresas, dois imóveis e um carro ligado à bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, acusada pela morte do cantor Ramon Alcides Viveiros, acidente registrado próximo à boate Valley, em Cuiabá. Arresto ocorre em ação que busca indenização no valor de R$ 805 mil.

Leia também 
Juiz bloqueia R$ 805 mil em bens de acusada por morte de cantor

 
Yale determinou a expedição de ofício à Junta Comercial do Estado de Mato Grosso para inscrever o arresto das cotas sociais da empresa Manoel Randolfo da Costa Ribeiro Eireli-ME, com capital social integralizado de R$ 110 mil, e da empresa Manoel Randolfo da Costa Ribeiro EIRELI-ME, nome de fantasia "Digo Grill". Ambas estão localizadas no Jardim Itália, em Cuiabá.
 
Foi determinado ainda a expedição de notificação aos Cartórios do 2º e 6º Ofícios de Registro de Imóveis da Capital, para que procedam a averbação do arresto em duas matrículas. Há determinação de bloqueio ainda sobre um veículo Nissan Kicks ano 2017.
 
O crime em frente à boate Valley ocorreu no dia 23 de dezembro de 2018, na Avenida Isaac Póvoas, em Cuiabá. Rafaela Screnci também é denunciada, em processo que pode levar a júri popular, por crime de homicídio na modalidade de dolo eventual (por duas vezes) e homicídio tentado.

Na ocasião do acidente, a denunciada atropelou Mylena de Lacerda Inocêncio, Ramon Alcides Viveiros e Hya Giroto Santos, causando a morte das duas primeiras vítimas e gravíssimas lesões corporais na terceira.

Ao dirigir em notório estado de embriaguez e em velocidade acima do permitido, conforme o MPE, a acusada Rafaela Screnci assumiu o risco de produzir o resultado morte.

31 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Albino Pfeifer Neto
    29 Mar 2020 às 20:54

    Dizer que no Brasil tem Justiça é uma piada de mal gosto. As decisões não levam em conta as Leis, só o que os Juizes acham! Fazem de acordo com a conveniência!

  • Alguém
    27 Mar 2020 às 05:44

    Estranho que n vejo aquela promotora, sei lá o que, que decepou a perna de um gari com conta bloqueada. N vejo mais nada sobre a médica que matou um verdureiro. Dessa mulher até coisas do pai bloquearam que vai TOTALMENTE CONTRA A LEI!!! Eu acho que deveria fazer uma investigação desse juiz aí! Sei não, tá estranho! E olha que estavam no meio da rua...

  • Rui costa matias
    26 Mar 2020 às 08:52

    Engrassado minha filha e esposa morreram num acidente de moto os foncionario bebados direçao perigossa passei todos dados a um adevogado por nome cristiano gayva e tem trez anos hoje ligo p ele ele se esconde queria um advogado de cunhao roxo porque acredito na justiça porque a firma vg pizo nunca pronunciol se tiver um advogado macho me procura fico grato

  • Itamar
    26 Mar 2020 às 08:50

    Isso acontece pq o tio dele e desembargador, por isso foi rapida o bloqueio de bens, teve um mesmo caso do manobrista que estava trabalhando na frente da mesma empresa e ate hoje nao vi a justica se pronunciar do caso, justica so olham pra quem tem dinheiro

  • Antonio Justino de Almeida Junior
    26 Mar 2020 às 08:21

    Engraçado como está nítido aí nessa ação uma conduta de parceira com o Pai lamentável do jovem que morreu... Todos esqueceram quem é o Pai dele ??? Por no caso da médica que matou o verdureiro não foi tomado a mesma conduta ??

  • MP
    26 Mar 2020 às 07:28

    A Familia possui o imovel que mora, o imovel que o filho mora com 2 bebes, 1 empresa de advocacia que sustenta a familia e uma.espetaria que sustenta a familia do filho. O que que o juiz e quem pede a indenização quer com isso. Jogar todos na rua??? Nada justifica um morte, porem matar pessoas em vida não deixa de ser também um crime.

  • PERDIDO...
    26 Mar 2020 às 00:29

    Infelizmente a "in-justiça" está sendo feita pois os pais trabalhando no "Judiciário". É uma lástima bloquear os bens de uma família. Ela ja pagou na justiça o que devia. E a família do verdureiro? Pra eles o juiz não determina nada? Uma vergonha nosso país.

  • CUIABANO MT
    25 Mar 2020 às 22:28

    É uma vergonha essa nossa justiça... não serve para nada, só serve para beneficiar os seus pares e amigos...

  • Rodrigo
    25 Mar 2020 às 21:36

    Médica atropela verdureiro não vira em nada. Vai entender essa justiça...

  • FERNANDO
    25 Mar 2020 às 21:13

    O caso do verdureiro quem estiver indignado que procure a família e auxilie ela para recorrer, será um bem que farão.

Sitevip Internet