Olhar Jurídico

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Criminal

Justiça estende retirada de tornozeleira a comparsa de DJ acusado de tráfico

Da Redação - Vinicius Mendes

13 Fev 2020 - 11:34

Foto: Rogério Florentino / OD / Reprodução

Justiça estende retirada de tornozeleira a comparsa de DJ acusado de tráfico
O juiz Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto, da 13ª Vara Criminal de Cuiabá, determinou a retirada da tornozeleira eletrônica de Diego de Lima Datto, após a defesa dele, patrocinada pelo advogado Reinaldo Ortigara, pedir a extensão do benefício que já havia sido concedido ao DJ Patrike Noro de Castro. Patrike e Diego foram presos em fevereiro de 2019 em posse de grande quantidade de drogas sintéticas que seriam comercializadas em festas no Carnaval. Eles foram soltos em maio do ano passado.
 
Leia mais:
Em liberdade, DJ acusado de tráfico está proibido de frequentar raves, baladas e academias
 
Ao conceder liberdade ao DJ Patrike e a Diego o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) impôs algumas medidas cautelares. Além do uso de tornozeleira, eles não podem se ausentar de Cuiabá sem comunicar a Justiça, terão que informar a Justiça sobre qualquer mudança de endereço, são obrigados a comparecer mensalmente em juízo para comunicar suas atividades e estão proibidos de freqüentar festas e academias de musculação.
 
A defesa de Patrike conseguiu a revogação da medida cautelar de monitoramento eletrônico em decorrência de um recurso de Habeas Corpus. Na última terça-feira (11) o juiz Francisco Alexandre Ferreira Mendes Neto julgou um pedido de Diego, para que também tivesse o equipamento retirado.
 
“A defesa do acusado Diego de Lima Datto pretende a revogação da medida cautelar de monitoramento eletrônico, alegando, em suma, que o réu tem passado por constrangimentos em seu trabalho em razão do uso do equipamento, afirmando, ainda, o corréu Patrike, que responde por mais crimes, foi beneficiado com a retirada do equipamento rastreável”, citou o juiz.
 
O magistrado constatou que as condições de Diego não se diferem das de Patrike, sendo que, inclusive, Diego responde por menos delitos que seu comparsa na ação penal. Ele então revogou a medida de monitoramento eletrônico, mas manteve as demais medidas cautelares.
 
“O art. 580 do CPP, o qual dispõe que, no caso de concurso de agentes, a decisão do recurso interposto por um dos réus, se fundado em motivos que não sejam de caráter exclusivamente pessoal, aproveitará aos outros, tenho que o benefício de revogação do monitoramento eletrônico concedido pelo E. TJ/MT ao acusado Patrike pode ser estendido ao ora requerente Diego, que se encontra nas mesmas condições processuais”, explicou.
 
A prisão
 
Policiais da Delegacia Especializada em Repressão a Entorpecentes (DRE) prenderam no dia 28 de fevereiro de 2019, o DJ Patrike Noro de Castro e Diego de Lima Datto. Os suspeitos foram presos durante cumprimento de mandado de busca e apreensão decretado pela 13ª Vara Criminal de Cuiabá e autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.
 
A ação foi desencadeada após a DRE receber informações de que os suspeitos estavam em posse de grande quantidade de drogas sintéticas que seriam comercializadas, em festas raves da Capital, durante o período do Carnaval.
 
Diante da denúncia, o delegado Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, representou pelas ordens judiciais de busca e apreensão domiciliar, cumpridas nos apartamentos dos suspeitos, nos bairros Monte Líbano e Araés. Um dos mandados foi cumprido em um prédio de luxo de Cuiabá.
 
Na casa de Patrike, foram apreendidos comprimidos de ecstasy, anabolizantes e dinheiro. No apartamento de Diego, os policiais encontraram ecstasy, lsd, anabolizantes e medicamentos abortivos.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Paolo
    13 Fev 2020 às 20:33

    OS CANALHAS TOMARAM CONTA DO BRASIL.

  • San
    13 Fev 2020 às 13:39

    Pq não deixou pra soltar depois do Carnaval....

Sitevip Internet