Olhar Jurídico

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Criminal

Tribunal liberta acusado de integrar organização criminosa ligada ao vereador Jânio Calistro

Da Redação - Arthur Santos da Silva

12 Fev 2020 - 14:29

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Tribunal liberta acusado de integrar organização criminosa ligada ao vereador Jânio Calistro
A Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) revogou a prisão preventiva decretada contra Lauro Silva Gomes, um dos alvos da Operação Cleanup, que supostamente desmantelou organização criminosa atuante no tráfico de drogas. 

Leia também 
Percival Muniz é denunciado por superfaturamento e direcionamento em pregão de combustível

 
A decisão é desta quarta-feira (12). O habeas corpus assinado pelo advogado Artur Osti foi relatado pelo desembargador Gilberto Giraldelli. Votou com o relator, pela liberdade, o desembargador Juvenal Pereira. Rondon Bassil abriu divergência. Medidas cautelares serão fixadas pelo juiz de Primeiro Grau. 
 
Segundo investigação, faz parte da organização criminosa o vereador Jânio Calistro, também preso durante a operação deflagrada pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE).
 
Segundo o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, as investigações iniciaram em virtude de uma denúncia anônima recebida. Foi verificada a atuação de um extenso grupo de traficantes atuante na cidade de Várzea Grande.

O trabalho investigativo durou cerca de 70 dias e permitiu identificar diversas pessoas associadas para o tráfico, sendo realizadas as prisões em flagrante de seis pessoas e apreensão de grande quantidade de drogas em posse dos presos.
 
Recentemente o Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou liminar em Habeas Corpus que pedia pela liberdade de Jânio Calistro. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Maria Candida
    13 Fev 2020 às 10:05

    O que adianta desmascarar a máfia se não ficam presos os chefões? E país da impunidade....!

  • josé de souza
    13 Fev 2020 às 08:26

    PRECISO ESTUDAR O NOSSO CÓDIGO PENAL, SOU LEIGO, CADA DECISÃO

  • ana
    12 Fev 2020 às 19:01

    estão brincando com a sociedade

  • Crítico
    12 Fev 2020 às 15:38

    Mas esse liberado não faz parte a FACÇÃO CRIMINOSA?

Sitevip Internet