Olhar Jurídico

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Civil

Juíza decreta falência do Japô Restaurante por dívidas de quase R$ 2 milhões

Da Redação - Vinicius Mendes

12 Fev 2020 - 12:30

Foto: Reprodução

Juíza decreta falência do Japô Restaurante por dívidas de quase R$ 2 milhões
A juíza da 1ª Vara Cível de Cuiabá, Anglisey Solivan de Oliveira, declarou a falência da Olhete Restaurante Eireli (Japô Restaurante) após a empresa não cumprir as atribuições previstas na Recuperação Judicial  aprovada em janeiro de 2018. As dívidas do restaurante somam R$ 1.907.915,09.
 
Leia mais:
Promotor instaura inquérito contra Abilio Brunini por ‘atos arbitrários’ no Hospital São Benedito
 
A magistrada cita que o Japô Restaurante entrou com pedido de recuperação judicial em julho de 2015, sendo o processamento deferido em agosto do mesmo ano, e, após a homologação do plano de recuperação judicial aprovado em assembleia geral de credores, foi concedida a recuperação judicial pela decisão proferida em janeiro de 2018.
 
O administrador judicial informou que tomou conhecimento que o Japô Restaurante havia encerrado suas atividades, e ao verificar a situação constatou que a empresa estava com as portas fechadas, no horário de funcionamento. O administrador ainda disse à Justiça que a empresa devedora encerrou irregularmente suas atividades, pois não apresentava os documentos contábeis e não vinha cumprindo com o pagamento de deus honorários, ou seja, descumpria o plano de recuperação judicial.
 
“Pois bem como mencionado no relatório, o administrador judicial noticiou ao Juízo que a recuperanda deixou de cumprir com as atribuições que lhe competia, tais como o cumprimento do plano, a apresentação dos documentos contábeis, o pagamento de sua remuneração, de modo que os esforços empreendidos não foram suficientes para afastar a crise econômico financeira”, citou a juíza.
 
Em decisão do último dia 31 de janeiro, a magistrada entendeu pela necessidade de convolação da recuperação judicial em falência. Ela explicou que a recuperação judicial é direcionada a empresas que sejam economicamente viáveis e o juiz, ao perceber a inviabilidade, deve decretar a falência.
 
“A devedora, após a homologação do plano de recuperação judicial, não conseguiu dar continuidade a sua atividade empresarial e, ao invés de vir a Juízo pedir sua autofalência, optou, por vias indiretas, reconhecer seu estado falimentar, fechando suas portas e abandonando o imóvel onde funcionava a sede da empresa”, justificou.

A juíza então decretou a falência da empresa Olhete Restaurante Eireli e determinou que o administrador judicial proceda imediatamente com a arrecadação dos bens, documentos e livros, bem como a avaliação dos bens do Japô Restaurante.
 
“Sendo que ficarão eles sob sua guarda e responsabilidade, devendo a fim de evitar risco para a execução da etapa de arrecadação, providenciar a lacração de todas as unidades relacionadas pela devedora por ocasião do pedido inaugural, ficando, por ora, a Administradora Judicial como depositária dos bens encontrados, devendo, ainda, a fim de evitar desvio de ativos, providenciar o protocolo dos ofícios a serem expedidos às instituições financeiras, onde a falida possua conta, comunicando a decretação da falência e a indisponibilidade de eventuais recursos financeiros existentes”, decidiu a magistrada.
 
Ela ainda ordenou que seja oficiado o Registro Público de Empresas (Jucemat), para que proceda à anotação da decretação da falência no registro dos devedores, para que conste a expressão “FALIDA”.
 

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • eduardo
    13 Fev 2020 às 07:47

    a culpa é do bolsonaro . tudo é ele kkk

  • Vargas
    13 Fev 2020 às 07:21

    Aécio. Pelo que consta a falência começou durante o governo do PT.

  • Patropi
    12 Fev 2020 às 16:25

    Uai Aecio, não sabia que o governo federal tem culpa nisso, ae é petista vôte, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Aecio never
    12 Fev 2020 às 14:43

    MAIS UM GRUPO DE BOLSOMINIONS QUE CAI NA TRNCHEIRA..

  • Aecio never
    12 Fev 2020 às 14:43

    MAIS UM GRUPO DE BOLSOMINIONS QUE CAI NA TRNCHEIRA..

Sitevip Internet