Olhar Jurídico

Quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Notícias / Civil

Promotor instaura inquérito contra Abilio Brunini por ‘atos arbitrários’ no Hospital São Benedito

Da Redação - Vinicius Mendes

12 Fev 2020 - 09:06

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Promotor instaura inquérito contra Abilio Brunini por ‘atos arbitrários’ no Hospital São Benedito
O promotor Clóvis de Almeida Junior, da 36ª Promotoria de Justiça Cível de Cuiabá, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e Social e da Probidade, instaurou inquérito civil contra o vereador Abilio Brunini (PSC), para apurar supostos atos arbitrários praticados por ele no Hospital Municipal São Benedito. A Comissão de Ética da Câmara de Cuiabá, que vota hoje o relatório sobre a cassação de Abilio, apurou em um processo disciplinar uma suposta invasão do vereador ao Hospital, em setembro de 2017.
 
Leia mais:
Promotor investiga denúncia de suposta chantagem contra prefeita Thelma de Oliveira
 
A portaria foi publicada no último dia 30 de janeiro. O promotor citou que os Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios devem pautar-se pelos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
 
Ele também explicou que cabe ao Ministério Público promover o inquérito civil e a ação civil pública, na forma da lei, para a anulação ou declaração de nulidade de atos lesivos ao patrimônio público ou à moralidade administrativa do Estado ou do Município.
 
O promotor Clóvis de Almeida então instaurou inquérito civil para investigar supostos atos de improbidade administrativa, referentes a atos arbitrários do vereador Abilio Brunini praticados no ambiente do Hospital Municipal São Benedito, em Cuiabá. O prazo para conclusão deste inquérito civil público é de um ano. Abilio terá 10 dias para se manifestar sobre as alegações contra ele.
 
Cassação
 
O pedido de cassação de Abilio Brunini foi protocolado por seu suplente, Oséias Machado (PSC). O documento cita diversas situações, de acordo com Oséias, ‘incompatíveis com o decoro parlamentar, por abuso das prerrogativas constitucionais asseguradas ao vereador’.
 
O relatório da cassação de Abilio, na Câmara Municipal de Cuiabá, que tem pouco mais de 300 páginas, deve ser lido e votado pela comissão ainda nesta manhã de quarta-feira (12). Após a entrega do relatório, Abílio terá 15 dias para realizar sua defesa.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Edmilson rosa
    12 Fev 2020 às 14:48

    O ministério público estadual deveria verificar outras coisas...esse vereador fez o que muita gente não faz(vereador).

  • Lei
    12 Fev 2020 às 14:30

    vai pro inferno mesmo, só pq o cara ta procurando as falcatruas querem cassar ele, tão com medo dele pq ?? Vai cair 1 por 1 seus corruptos assassinos

  • Daniele
    12 Fev 2020 às 10:54

    O erro do Abílio é não ser corrupto. Aqui eles gostam que o poste mije no cachorro. Um absurdo o que estão fazendo, alguém precisa mostrar para esse bando de político ladrão que o país cansou dessa raça!

  • JOAQUIM SILV
    12 Fev 2020 às 09:42

    TUDO ISSO PORQUE O VEREADOR É O ÚNICO QUE TRABALHA... E O UNICO QUE PODE ACABAR COM A FARRA DO PALETÓ... QUE VERGONHA DESSA JUSTIÇA NOSSA

Sitevip Internet