Olhar Jurídico

Sábado, 25 de janeiro de 2020

Notícias / Criminal

Juiz designa nova audiência em ação contra procuradora aposentada que atropelou gari

Da Redação - Arthur Santos da Silva

13 Dez 2019 - 16:51

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Juiz designa nova audiência em ação contra procuradora aposentada que atropelou gari
O juiz Lídio Modesto da Silva Filho, da Quarta Vara Criminal de Cuiabá, determinou realização de audiência no dia 14 de abril de 2020 no processo contra a procuradora aposentada Luiza Farias Correa da Costa, acusada de atropelar o gari Darliney Silva Madaleno, que teve a perna amputada. Acidente ocorreu na região central de Cuiabá.
 
Leia também 
TRE nega pedido e mantém vídeo como prova em processo de cassação do deputado Avalone


A nova data surgiu em audiência realizada na quinta-feira (12). Na ocasião, a vítima do atropelamento foi ouvida. Luiza Farias não esteve presente.
 
A procuradora aposentada foi denunciada por lesão corporal culposa de natureza gravíssima. O delito ocorreu no dia 20 de novembro de 2018, na avenida Getúlio Vargas, quando a denunciada, dirigindo um veículo Jeep Renegade, colidiu contra a traseira de um caminhão que realizava a coleta de lixo e estava parado na faixa esquerda da via, atingindo Darliney.

De acordo com a denúncia, Luiza praticou lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e conduziu o carro “com capacidade psicomotora alterada em razão da ingestão de álcool”.

Na hora do crime, investigadores de polícia foram acionados e, durante a abordagem, constataram que a denunciada estava “em visível estado de embriaguez alcoólica”. Quando submetida ao teste de bafômetro, o resultado verificado foi de 0,66 miligramas de álcool por litro de ar alveolar, que é superior ao limite permitido por lei. 

A procuradora aposentada foi autuada em flagrante delito e encaminhada à delegacia, onde confessou ter ingerido bebida alcoólica antes de conduzir o veículo.
 
Contudo, posteriormente, retificou em parte o interrogatório, negando a ingestão de bebida alcoólica e afirmando não se lembrar de ter realizado o teste de bafômetro no dia do acidente. 

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Jordan Sali
    14 Dez 2019 às 08:06

    Essa é a justiça brasileira. Procuradora ganha salário altíssimo e não quer indenizar o gari que a própria atropelou. Dinheiro para minha viagem à Disney tem. Pra ajudar o coitado, não.

  • Luis Flávio
    13 Dez 2019 às 22:29

    Se fosse ao contrário ele já estaria condenado.

  • paulo roberto
    13 Dez 2019 às 21:14

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • paulo roberto
    13 Dez 2019 às 21:14

    Ainda vai ter nova audiência? Faz um ano que essa irresponsável estragou a vida desse trabalhador....É muito mimimi, mete logo uma condenação e faça ela pagar uma indenização, que doa no bolso ou bolsa.....Simples assim!

  • Gladston
    13 Dez 2019 às 20:39

    Falo toda semana do caso desse senhor. Como pode a injustiça ser tão morosa coma situação de uma vítima amputada onde até o alimento tem faltado? Eu mesmo respondo: DINHEIRO E PODER, se essa bêbada não tivesse esses "predicados" o dela já teria sido acertado! Lamento, mas assim é esse país corrupto e cheio de criminosos do colarinho branco em todas as esferas do poder.

Sitevip Internet