Olhar Jurídico

Terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Notícias / Civil

Justiça aceita recurso e Energisa é impedida de cortar energia de homem tetraplégico

Da Redação - José Lucas Salvani

11 Set 2019 - 08:10

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Justiça aceita recurso e Energisa é impedida de cortar energia de homem tetraplégico
A Justiça aceitou recurso do defensor público Marco Aurélio Saquetti e impediu a Energisa de cortar o fornecimento de energia a uma família carente do município de Sorriso (a 418 km de Cuiabá). Um dos integrantes da família é tetraplégico e precisa de um ambiente climatizado para evitar lesões e feridas no corpo. A decisão inicial autorizava a concessionária a suspender a energia devido contas atrasadas.

Leia mais:
Manicure que teve dedo amputado em porta de elevador recebe R$ 25 mil

A Turma Recursal Única do Tribunal de Justiça acompanhou o voto do relator desembargador Valdeci Moraes Siqueira, e por unanimidade, acatou o pedido da Defensoria Pública, ao reconhecer o argumento do defensor. Saquetti defendeu que o corte de energia elétrica motivado por falta de pagamento não pode ser feito, quando a falta de energia elétrica ameaçar a vida e a saúde de usuário que dependa de assistência médica domiciliar para sobreviver.

O defensor lembra ainda que o caso é especial, isolado e que merece um olhar diferenciado por parte do judiciário. "Os efeitos da sentença trarão reflexos importantes na vida de uma pessoa, que depende do serviço de fornecimento de energia elétrica para sobreviver, devendo a decisão a ser proferida estar baseada principalmente nos princípios da dignidade da pessoa humana e do direito à vida, que são basilares em nosso sistema jurídico", afirma em trecho da ação.

Saquetti afirma ainda que a empresa deve, neste caso, buscar os meios judiciais cabíveis para receber o crédito que alega possuir. Diante dessa manifestação, os desembargadores definem na decisão que, "a impossibilidade do corte não acarreta prejuízo à concessionária, pois não impede outros meios de cobrança da dívida, tal como a inscrição dos débitos no cadastro de inadimplentes, sejam feitos".

O fato ficou comprovado no processo a partir laudos médicos e de receituários da Secretaria Municipal de Saúde que atestam que um dos integrantes da família, A. F. C., 24 anos, que têm sequelas de um traumatismo craniano encefálico, depende de cuidados intensivos, inclusive de um aspirador, e que por esse motivo seria "impossível para ele sobreviver sem energia elétrica".

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • AVANCA MT
    12 Set 2019 às 15:35

    ENERGIA É DE EXTREMA NECESSIDADE, COM TANTA TECNOLOGIA O CONSUMIDOR DEVERIA PODER ACOMPANHAR SEU CONSUMO DIARIAMENTE , POIS CONTAS DA ENERGISA TEM SEMPRE UMA CAIXA DE SURPRESA E NÃO TEMOS COMO SABER .!

  • trabalhador
    11 Set 2019 às 09:32

    parabéns pela decisão esse cidadão sim não tem condições ,agora ganbirra estes espertos que roubam energia ,empresária ,empresário, comercios e muitos outros estão ai de boa ar ligado o dia inteiro e ostentando como pode aqui pagamos um energia muito alta ja foi dito aqui e vejo denuncias e não a uma fiscalização no centro nos condominios nesses casarões no centro isso a energisa precisa cobrar e cortar agora um trabalhador doente é pra cabar.

Sitevip Internet