Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Civil

Justiça determina despejo de lojas da Ricardo Eletro por causa de aluguéis atrasados

Da Redação - Vinicius Mendes

14 Ago 2019 - 16:46

Foto: Reprodução / Google

Justiça determina despejo de lojas da Ricardo Eletro por causa de aluguéis atrasados
Os juízos das 3ª e 4ª Varas Cíveis de Cuiabá determinaram o despejo de lojas da Ricardo Eletro, em Cuiabá, por falta de pagamento de aluguel. De acordo com os proprietários dos imóveis, a empresa deve, em aluguéis atrasados nestas duas lojas, o os valores de R$ 111.920,61 e R$ 117.876,57. Em outras ações a Justiça já determinou o despejo de outras lojas da Ricardo Eletro.
 
Leia mais:
Juíza determina despejo de loja da Ricardo Eletro no centro de Cuiabá em 15 dias
 
No processo da 3ª Vara Cível, com decisão publicada no Diário de Justiça do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) de hoje (14), os proprietários de um dos imóveis onde funcionava uma loja da Ricardo Eletro entraram com uma Ação Despejo c/c Cobrança de Aluguéis com Pedido de Tutela de Urgência, contra a Dismobrás Importação Exportação e Distribuição de Móveis e Eletrodomésticos, antiga City Lar (que foi adquirida pela Ricardo Eletro), pelo atraso no pagamento de aluguel.
 
Os proprietários apresentaram nos autos o contrato de locação e afirmaram que a Ricardo Eletro é devedora da quantia atualizada de R$ 111.920,61. Eles requereram o despejo “ante o inadimplemento dos aluguéis e demais obrigações pactuadas no contrato de locação”.
 
Citando jurisprudência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul o juízo da 3ª Vara Criminal de Cuiabá deferiu o pedido dos proprietários, determinando assim o despejo. A Justiça ainda dispensou a realização de audiência de conciliação e deu prazo de 15 dias para que a Ricardo Eletro apresente contestação.
 
No último mês de fevereiro a Justiça já havia determinado o despejo da loja da 13 de Junho em Cuiabá. Os proprietários da referida loja entraram com uma Ação de Despejo por Falta de Pagamento com Pedido de Medida Liminar Desocupatória contra a Ricardo Eletro, por dívidas de R$ 117.876,57, em aluguéis atrasados.
 
Os donos citam que o contrato foi firmado em agosto de 2015, com vigência até agosto de 2020. Porém, até a propositura da ação, não havia quitado os alugueis vencidos nos meses de fevereiro, maio, junho, julho, agosto e setembro de 2018. Eles então requereram o despejo.
 
No entanto, em nova decisão publicada nesta semana, a 4ª Vara Cível de Cuiabá deu novo prazo para a desocupação. A juíza cita que a Ricardo Eletro foi notificada da dívida, mas não pagou. Ela deferiu o pedido dos proprietários para o despejo do imóvel da 13 de junho, “sob pena de despejo compulsório". O despejo foi cumprido já nesta semana.
 
Em outra ação, com decisão do último dia 24 de julho, o juízo da 8ª Vara Cível de Cuiabá condenou a empresa Máquina de Vendas Brasil Holding S.A. ao ato de desocupação voluntária da loja Ricardo Eletro na Avenida Fernando Corrêa da Costa, ao lado da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Cuiabá. Além da Ricardo Eletro, a Máquina de Vendas comporta lojas City Lar e Insinuante.
 
Nos autos foi constatado que o contrato de locação com valor mensal de R$ 50 mil firmado em 2017 até o ano de 2022 não estava sendo cumprido. Houve tentativa de conciliação em audiência, porém, não ocorreu acordo.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Ed
    15 Ago 2019 às 07:38

    Deve estar falindo, nessa loja é tudo caro. Sempre passo direto e vou pra outras.

  • Aff
    14 Ago 2019 às 21:21

    Uai, não entendi, Bolsonaro não era o salvador de pátria? Iria acabar o desemprego e a violência. Ué tô aqui esperando!

  • MARIA TAQUARA
    14 Ago 2019 às 20:23

    infelizmente talvez tenham pessoas que percam o emprego, mas isso não é responsabilidade do dono do imóvel. Aluguel se paga ou vai para a rua, isso é honestidade.

  • henri
    14 Ago 2019 às 19:30

    Uma loja com má gestão e sem a mínima importância com os clientes, fui cotar o preço de ar condicionado e tiveram a cara de pau de me aferecerem um split todo desmontado e o condensador de marca diferente. Passou da hora de fechar isso.

  • Cidadão de bens
    14 Ago 2019 às 17:58

    Um política neoliberal que retira das pessoas o poder de compra vem sendo implementado desde 2015. Esse empobrecimento traz certas consequências tais quais pessoas pobres não poderem comprar, o comércio eletrônico por sua vez têm crescido mas isto não sustenta por si só a voracidade do mercado.

  • Kaca
    14 Ago 2019 às 16:57

    Mais gente desempregada...

Sitevip Internet