Olhar Jurídico

Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Notícias / Criminal

TJ manda soltar acusado de liderar organização do jogo do bicho em Mato Grosso

Da Redação - Vinicius Mendes

14 Ago 2019 - 15:17

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

TJ manda soltar acusado de liderar organização do jogo do bicho em Mato Grosso
A Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) revogou, nesta quarta-feira (14), por unanimidade, a prisão de Frederico Muller Coutinho, apontado como o líder da Ello/FMC, uma das empresas que estaria praticando o jogo do bicho em Mato Grosso. Os desembargadores consideraram que a situação de Frederico é idêntica à dos outros 12 envolvidos que já receberam liberdade na semana passada, pois também é réu primário. Ele terá monitoramento eletrônico.
 
Leia mais:
Tribunal de Justiça revoga prisões de nove envolvidos na Operação Mantus; veja nomes
 
Na semana passada, o TJ já havia revogado a prisão de outros 12 investigados na “Operação Mantus”, que apurou contravenção penal do jogo do bicho e lavagem de dinheiro. Os desembargadores levaram em consideração que eles não apresentam antecedentes criminais e substituíram as detenções por medidas cautelares.
 
Em sessão desta quarta-feira (14), os magistrados julgaram um recurso de habeas corpus interposto pela defesa de Frederico. O relator, desembargador Rui Ramos, afirmou que o caso do suposto líder da Ello/FMC é idêntico ao dos outros envolvidos que já foram soltos.
 
“Estou concedendo da mesma forma porque não apresenta nenhum antecedente criminal, igual aos demais, de forma que aquelas medidas que nós colocamos parecem suficientes para conter esta atividade, com bloqueio de valores e colocação de monitoramento eletrônico”, disse o relator.
 
Os demais desembargadores seguiram o voto do relator. “É o mesmo peso e a mesma medida, o que se decidiu com relação à outra facção também termos que ter o mesmo valor para esta, quando não há nenhuma diferenciação”, afirmou o desembargador Gilberto Giraldelli.
 
A operação

 
A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Fazenda e Crimes Contra a Administração Pública (Defaz) e da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deflagrou na manhã do dia 29 de maio a Operação Mantus, com o escopo de prender duas organizações criminosas envolvidas com lavagem de dinheiro e com a contravenção penal denominada jogo do bicho.
 
A operação visou dar cumprimento a 63 mandados judiciais, sendo 33 de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão domiciliar, expedidos justamente pelo juiz da 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá, Jorge Luiz Tadeu.
 
As investigações iniciaram em agosto de 2017, descortinando duas organizações criminosas que comandam o jogo do bicho em Mato Grosso. Ambas movimentaram em um ano, apenas em contas bancárias, mais de R$ 20 milhões.
 
Uma das organizações seria liderada por João Arcanjo e seu genro, Giovanni Zem Rodrigues. A outra seria liderada por Frederico Muller Coutinho.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • MARIA TAQUARA
    15 Ago 2019 às 11:00

    PATROPI: não soltam o arcanjo pq ele é reincidente, criminoso que já foi condenado, recebeu liberdade e continuou na atividade criminosa

  • Povo de MT
    14 Ago 2019 às 22:26

    Esse judiciário da vergonha. Se fosse ladrão de galinha ficaria preso.

  • Patropi
    14 Ago 2019 às 20:35

    Isso que é f. a policia prende e os outros soltam. Ja que soltaram alguns, pq não soltam também o Arcanjo, Direitos iguais

  • Crítico
    14 Ago 2019 às 17:44

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • josé de souza
    14 Ago 2019 às 17:14

    DR. FREDERICO PESSOA DO BEM, QUEM FALA MAL DE VC AMIGO SÃO OS INVEJOSOS

  • Vinicius
    14 Ago 2019 às 17:04

    Pra punir esses pessoal tinha que fazer uma limpeza nesse nosso judiciario e trazer de volta o Dr. Pedro Taques ai sim o negocio muda,

  • MARIA TAQUARA
    14 Ago 2019 às 15:55

    bandido arrumadinho com cara de galã, só não precisa desse alisamento no cabelo

Sitevip Internet