Olhar Jurídico

Domingo, 15 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

MPE cobra urgência em alienação e venda de bens entregues por delator Silval Barbosa

Da Redação - Arthur Santos da Silva

09 Ago 2019 - 09:00

Foto: Google

MPE cobra urgência em alienação e venda de bens entregues por delator Silval Barbosa
O promotor de Justiça Mauro Poderoso, membro do Ministério Público (MPE) responsável por acompanhar a Execução Penal do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, cobrou a imediata alienação dos bens entregues em delação premiada. O parecer, assinado no dia oito de agosto, esclarece que a medida é necessária a “fim de que seja possível, e com máxima urgência, a realização das vendas dos imóveis ora ofertados”.
 
Leia também 
Silval tem 20 dias para juntar documentos com objetivo de diminuir um ano e meio de sua pena


A delação de Silval Barbosa se comprometeu a ceder um lote urbano em Sinop de R$ 860 mil, uma fazenda em Peixoto de Azevedo, avaliada em R$ 33 milhões, outra fazenda em Peixoto de Azevedo de R$ 10,4 milhões, uma aeronave avaliada em R$ 900 mil e um imóvel em Cuiabá de R$ 1,2 milhão.

Para completar o valor de R$ 70 milhões devolvidos, Silval firmou compromisso de depositar em uma conta judicial R$ 23,4 milhões, em cinco vezes.

Até o momento apenas o bimotor modelo Seneca III BEM 810D, avaliado em R$ 900 mil, foi transferido. Atualmente a aeronave atende às forças de segurança de Mato Grosso, com transporte de autoridades e até mesmo de presos. Silval segue cumprindo pena no regime semiaberto.
 
O Ministério Público Estadual (MPE) já deu parecer favorável ao pedido para que três bens entregues na delação premiada do ex-governador sejam substituídos pelo seu apartamento localizado na cobertura do Edifício Riviera da América, no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá, com avaliação de R$ 3,4 milhões.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • eleitor
    09 Ago 2019 às 15:20

    compensa andar fora da lei o que vemos é esse povo com tantos beneficios hoje livre e tocando a vida mais uma razão para cada dia ficar indiginada pois voce mata um leão por dia e tenta fazer tudo pra ser um cidadão honesto pois sabemos que se fizermos algo errado vai pra cadeia e mofa la dentro e agente ve farra com dinheiro publico e tendo um bom advogado com certeza logo esta livre a população aqui fora paga e pagou um alto preço e sofre as consequencias .

  • Peter Griffin
    09 Ago 2019 às 12:00

    Vai devolver só 70 milhões???? O crime compensa demais da conta! Esse valor não é nem 10% do valor real que deveria ser restituído! Uma verdadeira piada!

  • piada mt
    09 Ago 2019 às 11:44

    O cara roubar bilhões e parcela 70 caminhões...piada mesmo, bom trabalho justiça

  • Critico
    09 Ago 2019 às 10:46

    Primeiro tem que vistoriar " in loco" as fazendas ofertadas

Sitevip Internet