Olhar Jurídico

Domingo, 15 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Jorge Tadeu recebe processo de R$ 104 milhões contra Mauro Savi

Da Redação - Arthur Santos da Silva

22 Jul 2019 - 13:58

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Jorge Tadeu recebe processo de R$ 104 milhões contra Mauro Savi
O juiz Jorge Tadeu, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, recebeu processo encaminhado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) contra o ex-deputado estadual Mauro Savi por suposta fraude de valor estimado em R$ 104 milhões. O magistrado enviou o caso no dia 16 de julho ao Ministério Público (MPE) para que haja manifestação.

Leia também 
Desembargador analisa se houve uso de barriga de aluguel em operação do Gaeco contra deputado


Supostos crimes ocorreram no Sisflora (Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais), da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). 
 
Savi foi denunciado no Tribunal de Justiça com base em inquérito policial conduzido pelos delegados de polícia do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Segundo informado, os valores teriam sido utilizados para custear campanhas eleitorais no ano de 2014. 

Além de Mauro Savi, foram denunciados em 2016, na instância inferior e pelos mesmos crimes, o ex-deputado José Riva, Juliana Aguiar da Silva, Fabricia Ferreira Pajanoti e Silva, Jacymar Capelasso, Wladis Borsato Kuviatz, Paulo Miguel Renó, Eliana Klitzke Lauvers e Audrei Valério Prudêncio de Oliveira. 

Eles são acusados de formar uma organização criminosa que atuava na Secretaria Estadual de Meio Ambiente fraudando o Sisflora, ocasião em que madeireiras emitiam e cancelavam guias florestais, visando a multiplicação de créditos indevidos para os Eestados de Goiás e Pará, totalizando 2.022 operações.

O Ministério Público divulgou cálculo em 2016. Considerando que cada metro cúbico de madeira custava em média R$ 700 , o montante aproximado da fraude seria de R$ 104 milhões. 
 
O processo tramitava no Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Porém, com o fim do foro do ex-deputado, que não conseguiu se reeleger, o desembargador Alberto Ferreira de Souza determinou a baixa em maio.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Thomas Morus
    23 Jul 2019 às 09:39

    Olá OAB, vai se empenhar nesse caso ou só no processo da Senadora Selma, esse processo pode demorar até prescrever, é menos importante...

  • Joaquim
    22 Jul 2019 às 19:23

    Que vida heim? Desse EX deputado, fodeu com toda a família e com o próprio nome, desse tipo de político que temos que dar um basta, limpar assembleia e os tribunais de contas, acabou de sair mídia nacional, e os conselheiros substitutos tbm heim, vergonha né??? A povo sujo

  • Cristo Santo
    22 Jul 2019 às 17:25

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet