Olhar Jurídico

Domingo, 15 de dezembro de 2019

Notícias / Criminal

Desembargador se declara suspeito em ação contra 14 por desvio de VI da Assembleia Legislativa

Da Redação - Arthur Santos da Silva

22 Jul 2019 - 14:04

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Desembargador se declara suspeito em ação contra 14 por desvio de VI da Assembleia Legislativa
O desembargador João Ferreira filho se declarou suspeito por motivo de foro íntimo em ação criminal contra 14 pessoas, entre deputados estaduais, ex-parlamentares, contadores e servidores da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso.

Leia também 
Decisão que suspende processos com dados de Coaf defende todos os cidadãos, afirma Toffoli

 
O grupo é acusado de desviar aproximadamente R$ 600 mil referentes a recursos públicos oriundos de verbas indenizatórias nos anos de 2012 a 2015. Eles podem responder pelos crimes de associação criminosa, peculato e destruição de documentos públicos. Com a declaração de João Ferreira, novo nome deve ser escolhido.

De acordo com o Ministério Público, os fatos foram apurados pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco),  na operação “Déjà vú”.  A lista de denunciados inclui o atual presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (DEM); o ex-deputado e atual prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB); o  deputado Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD); e os ex-parlamentares José Antônio Gonçalves Viana, José Geraldo Riva e Wancley Charles Rodrigues de Carvalho. 

Também figuram no polo passivo da denúncia, Hilton Carlos da Costa Campos, Vinícius Prado Silveira, Geraldo Lauro, Ivone de Souza, Renata do Carmo Viana Malacrida, Tschales Franciel Tschá, Camilo Rosa de Melo e Ricardo Adriane de Oliveira.

Consta da denúncia, que para garantir êxito na empreitada criminosa os denunciados contaram com a colaboração de Hilton Carlos da Costa Campos e Vinícius Prado Silveira, que inclusive já são réus em outra ação penal. Eles ficaram incumbidos de constituir empresas de fachada com a finalidade de emitir “notas frias” em favor dos deputados e ex-parlamentares. Em contrapartida, recebiam um percentual sobre o valor nominal do documento fiscal.

Segundo o MPE, foram apuradas 89 notas fiscais “frias”. Com o denunciado José Antonio Viana foram constadas 23 notas, equivalente a R$ 149.545,00; com Ondanir Bortolini, 16 notas no valor de R$ 93.590,35; com Emanuel Pinheiro foram 13 notas, no valor de R$ 91.750,69; com José Geraldo Riva, oito notas fiscais no valor R$ 56.200,10; com Wancley Charles Rodrigues de Carvalho, duas notas no valor R$ 11.252,00; e com José Eduardo Botelho, uma nota fria no valor de R$ 7.143,00.

Os promotores de Justiça verificaram ainda o envolvimento do ex-deputado estadual Walter Rabelo, já falecido, com a utilização de 27 notas fiscais frias no valor R$ 192.756,70.
 
Conforme o MPE, os documentos públicos relacionados às verbas indenizatórias investigadas “simplesmente sumiram, seja dos escaninhos da Secretaria da AL/MT (onde deveriam estar arquivados os memorandos, como nos gabinetes de cada um dos parlamentares (onde deveriam estar arquivadas as vias protocoladas e as notas fiscais que lastrearam o pagamento da indenização)”

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Thomas Morus
    23 Jul 2019 às 09:41

    Olá OAB, vai se empenhar nesse caso ou só no processo da Senadora Selma, esse processo pode demorar até prescrever, é menos importante...

  • eleitor
    23 Jul 2019 às 08:46

    não podemos pensar assim Marcos pois temos que acreditar em nossos representantes não pode continuar assim pois sofremos com tudo isso estamos sem segurança,sem uma saude de qualidade sem escolas pra nossas crianças precisamos saber escolher nas eleções pra que não possamos sofrer mais com estas farras coma falta de respeito por parte de nossos representantes .

  • Jovanil
    22 Jul 2019 às 18:04

    PENTE FINO NESSES GABINETES! MP investigue. DEMISSÃO DE FANTASMAS E NOVO CONCURSO PARA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA de mato grosso.

  • marcos paulo
    22 Jul 2019 às 15:16

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • MARCOS PAULO
    22 Jul 2019 às 15:14

    isso que da!!!todos políticos tem alguém no gabinetes ou algum parentes dos magistrados na assembleia!!!por isso não da nada!!!manda pessoal os nomes dos servidores da assembleia ao CONSELHO NACIONAL DE JUSTICA!! VAMOS ACABAR COM ISSO!!!

Sitevip Internet