Olhar Jurídico

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Trabalhista

Obra na Salgadeira é embargada por falta de segurança

Da Redação - Arthur Santos da Silva

26 Jan 2018 - 18:32

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Obra na Salgadeira é embargada por falta de segurança
A Superintendência Regional do Trabalho determinou o embargo parcial da obras no Complexo da Salgadeira.
 
Leia mais:
Bombeiros são beneficiados com suspensão de processo por morte de aluno; tenente será julgada


Relatório Técnico constatou graves riscos a trabalhadores. Entre os problemas descritos estão “trabalho em altura, operação de máquinas autopropelidas, atividade de trabalho em energia elétrica, andaimes e escadas”.
 
Documento assinado pelo auditor fiscal do trabalho Danilo Barroso Frota, no dia 23 de janeiro, esclarece ainda que os funcionários seguirão recebendo enquanto a área estiver embargada.
 
Com mais de 72 mil m² formados por trilhas, restaurantes, lanchonetes, amplo estacionamento e pontos de banho, o Complexo Turístico da Salgadeira está localizado no limite dos municípios de Cuiabá e Chapada dos Guimarães.
 
Segundo informado pelo Governo de Mato Grosso, a obra está 90% finalizada. A expectativa era de entregar o espaço até março de 2018.

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • jose murtinho
    29 Jan 2018 às 16:00

    Interessante o povo brasileiro. Uma empresa ganhou a licitação para fazer uma obra pública, ou seja, paga com dinheiro do povo. E deveria fazer bem feito, não colocando em risco as pessoas que lá trabalham e seguindo a lei que trata disso. Aí, quando o fiscal vai lá e vê que a empresa não cumpriu o que está na lei, que está colocando em risco de vida os trabalhadores, em vez de reclamar da empresa, reclama do fiscal, que só pede o cumprimento da lei (em casos graves não se pode notificar, mas deve ser feito o embargo). Pode isso? Vai entender? Deve ser por isso que o país está nessa situação. Nunca seremos um País desenvolvido. Aqui alguns defendem os que estão errados...........

  • jose murtinho
    29 Jan 2018 às 16:00

    Interessante o povo brasileiro. Uma empresa ganhou a licitação para fazer uma obra pública, ou seja, paga com dinheiro do povo. E deveria fazer bem feito, não colocando em risco as pessoas que lá trabalham e seguindo a lei que trata disso. Aí, quando o fiscal vai lá e vê que a empresa não cumpriu o que está na lei, que está colocando em risco de vida os trabalhadores, em vez de reclamar da empresa, reclama do fiscal, que só pede o cumprimento da lei (em casos graves não se pode notificar, mas deve ser feito o embargo). Pode isso? Vai entender? Deve ser por isso que o país está nessa situação. Nunca seremos um País desenvolvido. Aqui alguns defendem os que estão errados...........

  • josé
    29 Jan 2018 às 15:12

    Sr. José Ricardo, parabéns pelo comentário, na mosca, tiro o chapéu para o Sr.

  • jose ricardo
    29 Jan 2018 às 14:51

    Quando você pergunta a uma criança o que ela quer ser quando crescer, normalmente você escuta: Médico, bombeiro, jogador de futebol, dentista, cantor, piloto. Você já viu alguma criança dizer "quando crescer quero ser fiscal?" Fiscal é aquela pessoa que não deu para porra nenhuma na vida, que não sabe fazer nada e vai fiscalizar o que os outros fazem. Pensa no perfil psicológico de um fiscal. Existe cara mais azedo, amargurado, infeliz, recalcado?

  • João Capivari
    29 Jan 2018 às 11:32

    Precisava interditar? Não seria somente notificar a construtora para ela atender as exigências legais? Isso é querer se aparecer! No Brasil existem centenas de obras paralisadas por interdição à anos, por coisa muito miúda que podia ser reparada em 05 dias.

  • josé
    27 Jan 2018 às 09:11

    Sr. fiscal, o povo agradece sua grande contribuição ao atraso e a falta de bom senso na vergonha que virou esse "empreendimento". Gostaria que o Sr. explicasse como se trabalha sem energia elétrica, sem máquinas autopropelidas, sem andaimes e escadas, explique por favor, sapiência. Países atrasados são assim mesmo, dependem de auditores, fiscais, peritos, gente que não sabe o que fazer a não ser fomentar a mediocridade e a falta de conhecimento para tentar se promover. Parabéns mais uma vez Sr. Fiscal, a cidade, o estado e principalmente a população agradecem.

  • Marcio
    27 Jan 2018 às 08:59

    Palhacada total. Essa obra ficou parada 8 anos e agora que recomeçou vem essa conversa mole. Parem de atrapalhar

  • Anna Arantes
    27 Jan 2018 às 08:49

    MP não deixei tomarem banho nesse local vai voltar a destruí-lo, olha oq esta virando a martinha só FAROFEIRO. Brasileiro mal educado não obedece regras NÃO deixem esse bando de FAROFEIROS voltarem para lá.

  • Lucio
    26 Jan 2018 às 21:50

    PALHAÇADA TOTAL. Ficou 8 anos parado e agora que resolveram trabalhar ... palhaçada desse fiscal

  • alexandre
    26 Jan 2018 às 21:26

    Tá tendo transformação..

Sitevip Internet