Olhar Jurídico

Sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Notícias / Trabalhista

Mais de 250 funcionários do Hospital Geral receberão R$ 1,1 milhão após acordo no TRT-MT

Da Redação - Paulo Victor Fanaia Teixeira

03 Dez 2017 - 10:05

Foto: Rogério Florentino/OlharDireto

Hospital Geral de Cuiabá

Hospital Geral de Cuiabá

Cerca de 260 funcionários do Hospital Geral de Cuiabá firmaram acordo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-MT) e terão direito a receber R$ 1,1 milhão. O acordo dá fim a um processo que se arrastava há 04 anos, no qual reivindicam salários atrasados.

A audiência foi realizada no último dia 28 na Coordenadoria Judiciária e de Apoio à Execução e Solução de Conflitos (Caesc) como parte da Semana de Conciliação que está sendo realizada pelo TRT-MT.

Os pagamentos serão feitos todo dia 20 do mês, ao longo de dois anos. Durante as negociações, o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem do Estado de Mato Grosso aceitou descontar 40% do valor da multa e a empresa, por sua vez, concordou em fazer todo o pagamento em 02 anos e não em 10 anos, como havia sido proposto inicialmente.

Os valores são referentes a dois processos ajuizados pelo sindicato em 2013 e 2016 para cobrar multa por atraso salarial.  Após fevereiro de 2014, foram feitas várias tentativas para solucionar aquele impasse e pagar os trabalhadores.

Segundo o diretor do sindicato, Arlindo Cesar dos Santos, os problemas começaram em 2008 quando o hospital começou a atrasar os salários prejudicando os trabalhadores que dependiam do pagamento para sobreviver.

O diretor conta que os profissionais chegaram a receber depois do dia 17 do mês, o que os obrigava a arcar com juros dos compromissos firmados, tendo assim dificuldades para o sustento de suas famílias. 

O Hospital Geral, por sua vez, explicou no processo que os atrasos salariais aconteceram pela demora no repasse pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e não por mera liberalidade da empresa. E que se pagassem todo o montante teriam dificuldades para manter até mesmo o funcionamento da unidade, com dispensa dos funcionários ou fechamento de alguma ala.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet