Olhar Jurídico

Domingo, 05 de dezembro de 2021

Notícias | Administrativo

CONTRATO

MPE investiga atraso de três meses a terceirizada que presta serviço de limpeza no Pronto Socorro de Cuiabá

Foto: Reprodução

MPE investiga atraso de três meses a terceirizada que presta serviço de limpeza no Pronto Socorro de Cuiabá
O promotor de justiça Alexandre de Matos Guedes abriu inquérito civil público para apurar suposto atraso de verbas na prestação de serviços e materiais de limpeza ao Hospital Pronto Socorro de Cuiabá. A investigação foi aberta no dia 19 de agosto após denúncia da empresa Luppa Administradora de Serviços e Representação Comerciais Ltda.

Leia mais:
Ex-secretário impetra no STJ segundo pedido por liberdade

De acordo com a documentação encaminhada pela Luppa ao Ministério Público Estadual (MPE), o atraso nos repasses de verbas resulta em três meses de serviços prestados sem que a empresa receba a contraprestação firmada em contrato.

Na documentação, a empresa alegou que preferiu denunciar a situação ao MPE. A justificativa é que caso a terceirizada paralisasse os serviços, o atendimento na unidade ficaria comprometido. A paralisação, segundo a empresa, também poderia comprometer os pacientes do Pronto Socorro.

De acordo com dados do Portal da Transparência da prefeitura municipal de Cuiabá, o contrato entre a prestadora de serviço de limpeza e a prefeitura teve início no ano de 2011 e deve ser encerrado em novembro deste ano. O valor total do contrado é de 2.798.249,97.

Outro lado
A reportagem do Olhar Jurídico tentou entrar em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, mas as ligações não foram atendidas.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet