Olhar Jurídico

Sábado, 04 de dezembro de 2021

Notícias | Administrativo

AUTORIZADA

TJ instaura sindicância contra desembargador pego em escuta telefônica com Silval

Foto: Reprodução

TJ instaura sindicância contra desembargador pego em escuta telefônica com Silval
O Tribunal de Justiça de Mato Grosso autorizou a instauração de sindicância contra o desembargador Marcos Machado, suspeito de tráfico de influência após ser pego em uma escuta telefônica com o ex-governador, Silval da Cunha Barbosa. Conforme a assessoria de imprensa do órgão, o procedimento foi estabelecido pelo presidente Paulo da Cunha, na última quinta-feira (22). A investigação será feita em segredo.

Leia mais:
Suspeito de tráfico de influência, Marcos Machado pede abertura de sindicância contra si no TJMT


Marcos Machado teve conduta questionada após divulgação de uma escuta telefônica com o ex-governador Silval Barbosa, a respeito da soltura da ex-primeira-dama Roseli Barbosa, presa na Operação Ouro de Tolo. Os áudios obtidos junto ao Ministério Público foram expostos pela TV Centro América. A reportagem veiculou um diálogo suspeito entre as partes, gerando especulações sobre possível favorecimento.

Na última quinta-feira (17), o desembargado formulou ofício afirmando que não possuía condições para participar da sessão do Pleno do Tribunal de Justiça marcada para a data. No mesmo documento, Machado esclareceu que pediria sindicância contra si, para elucidar os fatos e comprovar inocência.

Ainda segundo a assessoria de imprensa do TJMT, o advogado Saulo Gahyva foi constituído pelo desembargador Marcos Machado para atuar no caso.

Detenção

Presa no dia 20 de agosto, Roseli Barbosa passou seis dias na cadeia. A Operação Ouro de Tolo é um desdobramento da Operação Arqueiro. Traz investigações complementares efetivadas acerca dos crimes, estimados em R$ 8 milhões, cometidos no âmbito da Secretaria Estadual de Trabalho e Assistência Social (Setas).

No TJMT, durante distribuição do habeas corpus que buscava pela liberdade, o processo ficou sob relatoria do desembargador Rondon Bassil, que negou o pedido de soltura. O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Reynaldo Soares da Fonseca, foi o responsável por derrubar a prisão preventiva.

Machado


Marcos Machado foi nomeado desembargador em abril de 2011, após ser escolhido pelo então governador Silval Barbosa em uma lista tríplice composta por membros do Ministério Público. Antes de ser nomeado para o Tribunal de Justiça, ele foi secretário de Meio Ambiente, Administração e Saúde do governo Blairo Maggi (PR), além de ter sido secretário de Justiça e Segurança Pública no governo de Rogério Salles (PSDB).
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet