Olhar Jurídico

Sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Notícias / Geral

TJMT deve diminuir tempo de tramitação de processos, afirma desembargador

Da Redação - Vinicius Mendes

06 Jan 2019 - 08:31

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

TJMT deve diminuir tempo de tramitação de processos, afirma desembargador
O desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, eleito presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) para o biênio 2019/2020, afirmou que em sua gestão um dos focos será a diminuição do tempo de tramitação processual para atender melhor à sociedade. Além disso, ele afirma que durante o período que presidir o TJMT buscará aproximar o poder Judiciário da sociedade.
 
Leia mais:
Após atentados a juízes, presidente do TJMT quer instalar portas giratórias e esteiras de detecção de metais
 
Segundo o presidente o Primeiro Grau da Justiça em Mato Grosso (as atuações dos juízes nas Varas) serão prioridade. Desta forma, ele acredita que será possível trazer mais celeridade à tramitação processual.
 
“O número um é o fortalecimento do primeiro grau, agilizar todas as vagas e comarcas. Procurar diminuir o tempo de tramitação do processo, que ele seja mais rápido para a sociedade, a parte tenha uma das respostas imediatas, esse tempo de tramitação é muito grande hoje, tentaremos diminuir ao máximo”.
 
De acordo com o desembargador, o poder Judiciário de Mato Grosso é aquele que, proporcionalmente, recebeu mais ações por 100 mil habitantes, em todo o Brasil.
 
“O nosso foi o poder judiciário que mais ações recebeu distribuídas no ano de 2017. É um numero assustador, e mesmo assim temos conseguido dar uma resposta com nossa taxa de congestionamento e uma produtividade que chegou a 94% esse ano, julgando mais do que entrou”.
 
Ele ainda disse que nesta gestão o TJMT deve se aproximar mais da imprensa e também da sociedade. O desembargador afirmou que não há o que esconder.
 
“É exatamente isso que nós queremos, não tem que ter tema tabu, não temos que esconder nada, o que tiver que falar nós vamos falar. A gente até brinca que tinha uma ‘caixa preta’, mas não, está a mostra para todo mundo, com exceção dos casos sob segredo de justiça”.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • jose nildo
    06 Jan 2019 às 21:24

    KKKKK ESSA FOI BOA VAO FECHAR AS PORTAS

  • Bruna
    06 Jan 2019 às 15:17

    A maior vergonha do Brasil e de MT é o poder judiciário. Tenho um processo trabalhista há mais de 4 anos contra uma determinada prefeitura que percorreu até a seginda instância com causa ganha por mim. Porém, desde setembro aguarda o despacho final do juiz. Vergonha!!! Com todas as regalias que tem, tinham que trabalhar mais!

  • Bruna
    06 Jan 2019 às 15:14

    A maior vergonha do Brasil/ MT é o ppder

  • Marcilio Ribeiro Lacerda
    06 Jan 2019 às 14:58

    Espero que o TJMT, na pessoa do presidente faca alguma coisa nesse sentido. Porque o judiciario comeca o expediente apos o meio dia, asim mesmo estou cansado de chegar na assessoria cartorio das varas, e ver os aervisores com bandejas de salgadinhos e refrigerates fazendo lanche, e atende a populacao e nos advogados de mal humor danado, comonse estivem fazendo favor. Afffff

  • Marcilio Ribeiro Lacerda
    06 Jan 2019 às 14:54

    E vergonhoso a demora na tramitacao de processos, se fosse eu ganhador da Mega Sena, com certeza abandonaria a advocacia, nos advogados fazemis calo na barriga de tanto nos dirigir aos foruns cobrando agilidade, em um processo que sou pratono, tem um decisao pra ae cumpeida desde o mes de novembro, nao sei mais o que dizer para a cliente. Ja atravessei mais 2 peticoes tentando resolver e nada. Acredito que so vai melhorar quando juiz ganhar por produtividade e acabar com estavilidade do servidor publico.

  • Juracy Ady
    06 Jan 2019 às 13:36

    Mister alcandorar que nesses tempos de crise econômica e redefinição da sociedade, o que deve diminuir desembargador, são os privilégios e rendimentos. Judiciário ganha demais. Produz pouco. Sociedade farta de pagar impostos para sustentar privilégios de funcionários públicos, entre eles, o judiciário.

  • Jana
    06 Jan 2019 às 13:02

    Como ser célere com pessoal defasado, secretarias sem servidor, trabalhando de meio-dia as 19hs, mas vai lá 18hs já não tem servidor, malemá o gestor ta lá....dificil heim!

  • Teka Almeida
    06 Jan 2019 às 10:54

    Essa afirmação a população quer ver. Pois se nem nos julgamentos os desembargadores vão, adiando o julgamento, imagina celeridade nos processos.

  • Lindomar da Costa
    06 Jan 2019 às 08:55

    Cuidado presidente. O país ainda vive a crise de autoridade construída pelo petralhas. Essa historia de aproximar da sociedade só tem servido de caminho para maior perda de autoridade. O juiz de direito hoje é um acovardado, escondido de todos. O que precisa é eficiência, só isso.

Sitevip Internet