Olhar Jurídico

Domingo, 09 de dezembro de 2018

Notícias / Eleitoral

Maluf justifica uso de 1,2 mil litros de diesel por dois veículos em um mês e MPF considera absurdo

Da Redação - Vinicius Mendes

04 Dez 2018 - 11:01

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Maluf justifica uso de 1,2 mil litros de diesel por dois veículos em um mês e MPF considera absurdo
O procurador Pedro Melo Pouchain Ribeiro, da Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de Mato Grosso, órgão que exerce as funções eleitorais do Ministério Público Federal, opinou pela reprovação das contas eleitorais do deputado Guilherme Maluf (PSDB) após a constatação de irregularidades, entre elas sobre o consumo de combustíveis.

Ribeiro definiu absurda a justificativa de que 1.282,38 litros de diesel teriam sido consumidos por duas caminhonetes em 29 dias. Toda a receita de origem não identificada deverá ser recolhida pelo Tesouro Nacional.
 
Leia mais:
MPF pede reprovação de contas de Janaína Riva por contratações omitidas em campanha
 
A Coordenadoria de Controle Interno e Auditoria (CCIA/TRE/MT) havia emitido um parecer conclusivo pela desaprovação das contas de Guilherme Maluf nas eleições deste ano.

Foi verificada a omissão de despesa com aquisição de combustíveis, no valor de R$ 24 mil, e de refeição, além da omissão das despesas relativas à prestação de serviços de Aparecido Alves de Oliveira, cujo nome constou no relatório de passageiros, apresentado por Maluf, de um vôo executivo ocorrido em 24 de outubro de 2018.

O CCIA também apontou a incompatibilidade entre a frota de veículos utilizada na campanha e a quantidade de combustível adquirida, sendo 3.261,57 litros de gasolina, 1.482,03 litros de etanol e 1.282,38 litros de diesel.

O procurador citou que foram comprovados gastos de R$ 24 mil e de R$ 7,6 mil em um posto de combustível, mas que não foi informada uma outra despesa de R$ 24 mil em combustíveis e de uma refeição de R$ 13, no mesmo posto.

“Com efeito, considerando que as despesas omitidas foram quitadas com recursos financeiros de origem clandestina, que transitaram à margem da contabilidade oficial, é rigor seja o candidato compelido a recolher o numerário de R$ 24.013,00 aos cofres do Tesouro Nacional”.

Ribeiro ainda afirmou que de fato há omissão de despesa com relação aos serviços prestados por Aparecido Alves de Oliveira e ainda relatou que a campanha de Guilherme Maluf adquiriu 4.743,60 litros de etanol e gasolina, que teria sido utilizada para abastecer uma frota composta de 25 veículos.

“Nesse contexto, temos que, em termos matemáticos, que esses 25 veículos que serviram à campanha do requerente teriam consumido, em média, 7,00 litros de combustível por dia, incluindo sábados, domingos e feriados, o que não se mostra razoável”.

No entanto, o que impressionou o procurador foi a justificativa de Maluf sobre o uso do diesel adquirido. “ABSURDO mesmo é o consumo de 1.282,38 litros de diesel por apenas 02 carros (L200 e Hilux) movidos com esta espécie de combustível. Tais veículos foram cedidos por 29 dias (ID nºs 537122 e 537072), o que permite um consumo médio diário de 22,11 litros por carro, incluindo sábados, domingos e feriados”.

Ele então opinou pela desaprovação das contas eleitorais de Guilherme Maluf, sem prejuízo da condenação do deputado para que promova o recolhimento da receita de origem não identificada aos cofres do Tesouro Nacional.
 
Outro lado
 
O deputado estaual Guilherme Maluf (PSDB) informou que antes mesmo da divulgação do parecer do MP já havia regularizado os apontamentos feitos e agora aguarda com tranquilidade o julgamento de suas contas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
 

14 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Elias
    06 Dez 2018 às 09:47

    Eu gasto 1.500 lts. num caminhão por mês. Fazendo oito viagens carregado ida e volta pra rondonopolis com 15 toneladas..com certeza esses carro tavam gastando muito..duas camionete..voot

  • AVANÇA LOGO MT
    05 Dez 2018 às 18:47

    XI QUERO VER EXPLICAR O QUE NÃO TEM EXPLICAÇÃO !!! SE ELE GASTOU PESADO NA ELEIÇÃO DE ONDE PRETENDE TIRAR O DINHEIRO AGORA ??

  • Nícolas - papo mais reto.
    05 Dez 2018 às 15:00

    Samuel, pior que o cara não ser preso são os eleitores que votam neste sujeito, só voltar sua memória para a recente eleição: um monte de gente com adesivos do Maluf, a troco de que? o político não nasce nem brota lá quem põe ele lá é o povo, então a culpa começa pelo povo que não aprende a votar, ou vota de modo a pensar que está tirando vantagem.

  • Joaquim Teixeira
    05 Dez 2018 às 14:00

    Anda mais que notícia ruim...

  • nonato
    04 Dez 2018 às 22:40

    outro que vai cair...nerso barbudo...selma,,juarez fiel,jose domingos,,,num vai sobrar ninguem mió fazer logo ota inleiçao

  • Dudu
    04 Dez 2018 às 18:47

    Esse sobrenome não cheira bem!

  • Joaquim Teixeira
    04 Dez 2018 às 16:55

    Tem carroço nesse angu...

  • O atalaia
    04 Dez 2018 às 14:15

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • samuel
    04 Dez 2018 às 13:42

    Como esse cara não foi preso até hoje???

  • Juracy Ady
    04 Dez 2018 às 13:13

    Uma pena Maluf e Wilson Santos terem sido reeleitos. Representantes da velha política, que com Bolsonaro e o nosso galã Mauro Mendes não farão mais parte.

Sitevip Internet