Olhar Jurídico

Domingo, 09 de dezembro de 2018

Notícias / Geral

​Mesmo com aumento após fim de auxílio moradia, Scaloppe avalia que haverá perda salarial

Da Redação - Vinicius Mendes

29 Nov 2018 - 15:07

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

​Mesmo com aumento após fim de auxílio moradia, Scaloppe avalia que haverá perda salarial
O atual procurador-geral de Justiça, Luiz Alberto Esteves Scaloppe, do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT), avaliou que haverá perda salarial para os membros do judiciário do Estado, mesmo com o reajuste de 16,38% no subsídio (salário) dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que consequentemente trará o aumento do salário de 879 servidores do poder judiciário de Mato Grosso. O aumento foi aprovado após o fim do auxílio moradia a magistrados. Scaloppe levou em consideração a incidência do Imposto de Renda.
 
Leia mais:
Reajuste no salário de ministros do STF aumenta remuneração de 879 servidores de MT
 
“Matematicamente há uma espécie de compensação, acaba o auxílio moradia e os juízes e promotores de todo o Brasil, no caso específico, recebem o aumento. Há uma espécie de compensação, mas há uma perda salarial”, disse o procurador-geral.
 
O acordo foi que o reajuste do salário seria aprovado se fosse encerrado o auxílio moradia. O chefe do MP avalia que, em termos políticos, o fim do auxílio veio em boa hora pois encerra a crítica social que é feita a ele. No entanto, avalia que haverá perda salarial.
 
“Então acho que esta é uma solução de Estado, só que tem uma outra questão que é importante para os juízes e promotores, é que no meu ver, é que o auxílio moradia é verba indenizatória, e o aumento é remuneração, vai incidir o Imposto de Renda sobre a remuneração. Neste cálculo que eu falei ainda está copulado para este ano, mas para o ano que vem haverá uma perda salarial”.
 
O procurador-geral também afirmou que o futuro ainda é incerto e que alternativas terão que ser encontradas. “Então em verdade os juízes e promotores do Brasil, e servidores da Justiça Federal e Ministério Púlico vão ter que encontrar formas de recuperação salarial para o ano que vem, e alem disso estão dependentes da política que foi desenvolvida no Governo Federal, então se ele acabar com o teto nós não sabemos o que ele irá colocar no lugar”.

10 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Jurídico. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Jurídico poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • alexandre
    03 Dez 2018 às 11:26

    um pais serio corta mordomias e priviliegios, o judiciario brasileiro custa 4 vezes mais, um juiz na Suécia ganha 17 mil reais... não tem carro nem casa paga pela população..

  • Ernani
    30 Nov 2018 às 07:43

    Não é perda salarial é perda de mordomia. Auxílio moradia não é salário!

  • Cidadão Atento
    29 Nov 2018 às 23:46

    Bem-vindo ao mundo dos pobres mortais que pagam imposto de renda sem se valer de subterfúgios como essa falsa verba indenizatória, que nada indeniza. Vamos pagar impostos Senhores da lei, como qualquer mortal. O falso moralismo impera neste País.

  • Carol
    29 Nov 2018 às 23:42

    Que dó

  • Ilze
    29 Nov 2018 às 23:40

    É muito investimento para quase nenhum retorno. Fala sério!

  • Manolo
    29 Nov 2018 às 21:16

    "O piloto, proprietário do avião, Luiz Alberto Esteves Scalope realizou o pouso de barriga (...) ia para Sorriso-MT" às 14 h de uma quarta-feira de setembro de 2017 iria vistoriar a propriedade o procurador do MP, professor da federal e procurador-chefe...cargo, cargo e função...ops! Imagino as perdas salariais! a plutocracia queixa e esta parte de um ex candidato a governador petista...o Palocci...

  • Rocha
    29 Nov 2018 às 20:16

    Esse fez curso fora do Estado uns par de ano, recebendo mês a mês normalmente e ainda tá boquejando ?

  • Jean Nunes
    29 Nov 2018 às 18:32

    Nao merece comentários! Ta achando pouco, vai dar aulas, em algum curso de direito, atividade honrosa e lucrativa!!

  • lea
    29 Nov 2018 às 16:41

    Fala sério perda salarial sendo que alguns recebiam auxílio moradia, e agora esse valor foi incorporado no salário como que vai ter perda salarial, e agora podem incorporar esse valor na aposentadoria, ficou muito melhor para vocês no meu ponto de vista.

  • Zildet
    29 Nov 2018 às 16:04

    Isso e uma vergonha esses gananciosos.E um pai de família que vive com mísero salário mínimo. E até pecado esse senhor dizer isso.

Sitevip Internet